San Lorenzo não jogará na defesa

A Copa Mercosul é a competição mais importante na vida do San Lorenzo. O time argentino nunca conquistou um titulo internacional e acha que chegou a hora de acabar com o jejum. O técnico Manuel Pellegrini não teme a torcida do Corinthians. Muito pelo contrário. Ele acha que a Fiel pode atrapalhar a vida do próprio Corinthians. "Claro que a torcida pode atrapalhar o Corinthians. Afinal esse estádio aqui vai estar lotado de corintianos. O que só aumenta a responsabilidade de nosso adversário", disse o treinador do San Lorenzo, que treinou hoje à noite no estádio do Pacaembu. Manuel Pellegrini avisa. O seu time não vai jogar na retranca. "Contra o Cerro Porteño, nas quartas de final, ganhamos em Buenos Aires e em Assunção. Meu time joga no campo do adversário e em qualquer estádio". Pellegrini, que é chileno, mostrou que tem informações sobre o Corinthians, portanto não foi só o time de Wanderley Luxemburgo que se preocupou em colher detalhes sobre o adversário. Enquanto Valdir de Moraes foi à Argentina ver o San Lorenzo jogar, Manuel Pellegrini viu vários teipes de jogos do Corinthians tanto no Campeonato Brasileiro quanto na Copa Mercosul. "Sei que o Corinthians vai jogar com três atacantes. Conheço muito bem o Luizão. Ele é um goleador muito importante", disse o técnico. Manuel Pellegrini mostrou uma certa ironia quando questionado sobre a falta de títulos internacionais do San Lorenzo. Com um sorriso maroto, ele questionou: "Mas o Corinthians também não tem título internacional". Diante da resposta, o repórter lembrou-o do Mundial da Fifa, conquistado pelo Corinthians no ano passado. O treinador chileno limitou-se a responder, ainda sorrindo, "é verdade". Para o atacante Romeo, artilheiro da Copa Mercosul com 7 gols, o Corinthians também não tem segredo. "O Corinthians é um rival muito difícil, muito respeitado. Eu enfrentei o Corinthians em 99 aqui mesmo no Pacaembu. Ganhamos por 2 a 1, e eu fiz um dos gols." Romeo também não teme a fiel torcida. "Estamos acostumados a jogar em estádios lotados e isso não me preocupa" declarou o jogador, que planeja jogar pelo Bayer Leverkusen da Alemanha, que negocia a compra de seu passe. "Chegou a hora de eu conseguir uma transferência para o futebol europeu."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.