Sanchez reclama de árbitro e promete cobrar Federação

Mano Menezes não poupou críticas ao árbitro José Henrique de Carvalho neste domingo, após o clássico com o Santos, na Vila Belmiro. Para o treinador, o juiz foi o responsável direto pela derrota do Corinthians, por 2 a 1, pelo Campeonato Paulista.

MARCEL RIZZO, Agencia Estado

28 de fevereiro de 2010 | 21h16

Tanto o treinador quanto o presidente Andrés Sanchez disseram que o juiz é o queridinho do chefe da comissão de arbitragem da Federação Paulista de Futebol, Marcos Marinho.

"A Federação tem de explicar, e pode deixar que eu vou lá cobrar isso, como um árbitro que estava machucado apita dois jogos em um mesmo fim de semana e depois vem para um clássico?", questionou Sanchez. Mas ele não soube dizer quais jogos Carvalho dirigiu na semana passada. No site da FPF, ele não aparece como sorteado para nenhum jogo das três principais divisões do Estado na última semana.

O técnico foi além. Ele disse que o juiz é caseiro e que o Corinthians já havia vetado seu nome para o segundo jogo da semifinal do Paulista de 2009, contra o São Paulo, no Morumbi. "Ele (Marcos Marinho) queria colocar o José Henrique na partida contra o São Paulo, mas como ele é caseiro não deixamos".

Marcos Marinho assistiu ao clássico na boca do túnel que leva ao vestiário do Santos. Logo após a partida, concedeu rápida entrevista a emissoras de rádio e disse ter gostado do jogo. E criticou Mano: "Vi uma boa arbitragem. Um time entrou em campo para jogar [o Santos] e outro só para reclamar [o Corinthians]".

"Eu achei perigosa a declaração do coronel [Marinho] porque pode passar a impressão de que ele prefere um time ao outro", respondeu Mano. Andrés Sanchez fez outra acusação a Carvalho, repetindo algo que lhe foi relatado por alguns jogadores: "O árbitro disse que o Santos vai ser campeão".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.