Sanchez vai montar o Corinthians na política do 'bom e barato'

Presidente diz em sua primeira coletiva que o clube não tem dinheiro para fazer contratações milionárias

10 de outubro de 2007 | 12h48

Em sua primeira entrevista coletiva, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, disse nesta quarta-feira que os torcedores não devem esperar por uma equipe de estrelas para a próxima temporada. A política adotada será a do bom e barato.   Veja também:  Diferença de 17 votos mostra novo cenário político corintiano  Novo presidente corintiano é industrial e tem estilo prático  Neto aprova a escolha de Sanchez como novo presidente  Você aprova a eleição de Andrés Sanchez como o novo presidente do Corinthians?  Corinthians: 30 anos do fim da fila  Jogadores recebem 'voto de confiança' de Andrés Sanchez   Sanchez destacou o primeiro encontro com os jogadores e disse que confia na permanência na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Ele, inclusive, disse que já inicia o planejamento para 2008 com base na Série A.   "Nós temos uma equipe competitiva, que teve um início ruim de campeonato. Senti com os atletas que nós vamos permanecer. Quanto a reforços, os torcedores não podem esperar nenhuma contratação milionária."   Sanchez cuidará do futebol do clube até o final do Brasileirão. "Nesse período, vamos iniciar os planejamentos em busca de reforços. Vou conversar com o treinador para não ficarmos sem opções depois."   Sobre Dualib, o presidente disse que irá esperar os resultados da investigação. "Minha consciência está tranqüila. Agora, se Dualib errou, ele tem de pagar. Aqui, quem errar, vai pagar."   Sanchez afirma que a bandeira de seu mandato será a transparência. "Aqui tudo será claro. Vou conversar com os jornalistas semanalmente, apoiaremos a democracia e faremos tudo com base na honestidade."   Ainda nesta quarta, Sanchez anunciou a nomeação de três vice-presidentes: Sérgio Alvarenga (vice jurídico), Roberto Andrade (vice administrativo) e Raul Correa e Silva (vice de finanças).   Andrés Sanchez foi eleito nesta terça-feira como presidente do Corinthians. Ele derrotou Paulo Garcia por 17 votos de diferença. Sanches ficará no cargo até 1.º de fevereiro.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansAndrés Sanchez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.