Santa Cruz, Atlético-GO e Bahia de Feira são campeões

Diante de mais de 62 mil pessoas no Estádio do Arruda, o Santa Cruz conquistou o título pernambucano neste domingo, apesar da derrota por 1 a 0 para o Sport. Como havia vencido por 2 a 0 na primeiro jogo da decisão, na casa do adversário, o time levantou a taça após seis anos de jejum. Festas também das torcidas de Atlético-GO, Bahia de Feira de Santana e Chapecoense, todos campeões estaduais neste domingo.

AE, Agência Estado

15 de maio de 2011 | 19h20

Marcelinho Paraíba, já nos acréscimos do segundo tempo, fez o único gol da decisão pernambucana. Mas a vitória no Arruda foi insuficiente para o Sport, que buscava o sexto título seguido estadual. Já o Santa Cruz volta a ser campeão após seis anos de jejum - é o 25º troféu do Campeonato Pernambucano de sua história.

Mesmo jogando em casa e com a vantagem do empate, o Vitória perdeu a chance de ser pentacampeão baiano neste domingo, ao ser derrotado pelo Bahia de Feira por 2 a 1. A equipe do interior conquistou o seu primeiro título estadual, o terceiro da cidade de Feira de Santana, que viu o Fluminense ser campeão duas vezes na década de 60.

No Estádio Barradão, em Salvador, Giovanni abriu o placar para o Vitória aos 14 minutos, em cobrança de falta magistral. Alysson, porém, empatou para o Bahia de Feira nos acréscimos do primeiro tempo. E João Neto fez o gol do título na metade da segunda etapa.

Festa do interior também em Santa Catarina. Dono da melhor campanha no campeonato estadual, o Chapecoense ganhou em casa do Criciúma, por 1 a 0, e faturou o seu quarto título catarinense. O único gol do jogo foi contra, marcado por Carlinhos Santos.

Em Goiânia, a comemoração é do Atlético-GO, que aproveitou a vantagem de jogar por dois resultados iguais, voltou a empatar em 1 a 1 com o Goiás, no Estádio Serra Dourada, e levantou o seu 12º título goiano - o segundo seguido. Adriano, com um chute forte de dentro da área, fez o primeiro gol neste domingo. O Goiás só empatou no finzinho do segundo tempo, quando a torcida atleticana já fazia a festa.

O lance inusitado do jogo do Serra Dourada ficou por conta do árbitro paulista Paulo César de Oliveira. Após uma falta de Preto, ele tirou uma cartão vermelho do bolso e mostrou ao jogador. Imediatamente pediu desculpas por ter pegado o cartão errado e mostrou o amarelo, explicando a situação para os capitães dos dois times.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSanta CruzSportVitóriaGoiás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.