Santa Cruz quer vaga no Brasileiro

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu incluir o Caxias do Sul na Série A do Campeonato Brasileiro, deixando fora o Figueirense. Acatou assim despacho da 1ª Câmara Especial Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Os dois clubes disputam na Justiça o direito de disputar a principal competição do País, depois de confusão no jogo entre ambos, na rodada final da Série B de 2001. O Brasileiro vai começar dia 10 de agosto e teve nesta terça-feira sua tabela alterada, por causa da inclusão do Caxias. O presidente em exercício da CBF, José Sebastião Bastos, disse que a entidade deve recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para reverter a decisão favorável ao Caxias. ?O campeonato terá 26 clubes, disso a CBF não abre mão?, afirmou. A briga na Justiça por uma vaga no Brasileiro chegou quarta-feira a Pernambuco. A prefeitura de Belo Jardim, no interior do Estado, entrou com ação pública na 2ª Vara Cível do Fórum da cidade, solicitando a presença do Santa Cruz na Série A do Brasileiro. A liminar foi aceita pela juíza Maryjara Arruda, o que obriga a CBF a incluir o Santa Cruz na competição. ?Até agora (nesta terça-feira à noite), a CBF não recebeu nada da Justiça de Pernambuco; não posso falar portanto sobre esse caso?, disse Bastos, ao deixar o prédio da confederação. O presidente da federação de Futebol de Pernambuco, Carlos Alberto Oliveira, esteve na CBF e disse que vai apoiar a luta do Santa Cruz, embora não concorde ?com o método?. A alegação dos ?laranjas? do clube de Recife é a de que ele teria de ter os mesmos direitos do Fluminense, que também foi rebaixado em 1999 para a Série B, mas conseguiu voltar à elite por decisão da CBF. Sobre a decisão da Justiça de Caxias do Sul, a CBF teria de pagar multa diária de R$ 150 mil, a contar a partir desta quarta-feira, se não cumprisse a determinação. Apesar da situação de indefinição quanto ao número preciso de participantes do Brasileiro e da relação final dos clubes, Bastos garantiu que o campeonato terá início dia 10 de agosto. ?A CBF entende que a decisão emanada da Comarca de Caxias do Sul é inteiramente equivocada, não resistindo a um exame minimamente sereno nem a um sopro de bom direito. Mas vai cumpri-la?, afirmou. Dúvida ? Na próxima terça-feira será decidido se a Série B vai, ou não, ser realizada. Sem recursos financeiros, dirigentes dos clubes podem não disputar a competição, com estréia prevista para o dia 13 de agosto, como forma de represália à CBF, que descumpriu a promessa de investir recursos na competição. ?É um descaso muito grande, se não tiver apoio financeiro, prefiro ficar parado?, disse Peter da Silva, presidente do Londrina e membro da comissão da Série B. Até agora, a única verba destinada para a competição foram os R$ 2 milhões da SporTV, pelos direitos de transmissão. ?Precisamos de, no mínimo, R$ 5,8 milhões para não passarmos por dificuldades financeiras?, informou Alberto Bartholi, presidente do Joinville e da comissão do Clube dos 13. A comissão vai, ainda esta semana, cobrar a ajuda financeira da CBF, do Clube dos 13 e da TV Globo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.