Santa Fe critica Inter, confirma acordo e nega antecipar liberação de venezuelano

O presidente do Independiente Santa Fe, César Pastrana, confirmou a negociação do meia Luis Manuel Seijas com o Internacional, mas criticou a postura do clube gaúcho, classificando como "gravíssima" a ação de "persuadir" o jogador a trocar o futebol colombiano pelo brasileiro.

Estadão Conteúdo

12 de abril de 2016 | 10h49

Seijas é um dos destaques do Santa Fe e tem presença constante na seleção venezuelana. O meia se transferirá em junho e não agora como desejava o Inter, afirmou Pastrana.

"A questão era gravíssima, porque o Inter não teve sequer a delicadeza de me chamar, nada. Até o momento eu não falei com eles. Eles persuadiram o jogador, falaram com ele e o empresário", disse o dirigente à edição online do jornal El Tiempo, de Bogotá.

Seijas está em sua segunda passagem pelo Santa Fe - ele defendeu o clube entre 2008 a 2011 e depois a partir de 2014. "Eles ofereceram um muito generoso contrato. Inclusive, queriam levá-lo já, nesta semana, porque em abril se liberam as contratações no Brasil. Eles queriam que jogasse no domingo e fosse. Eu não deixei. Embora tenha tentado que ficasse, se trata do futuro do jogador", disse Pastrana.

O Santa Fe inicialmente declarou que Seijas era inegociável, mas depois mudou de posição diante da insistência do jogador, seu empresário e de uma oferta com valores não revelados do Inter.

Seijas participou das conquistas da Copa Colômbia em 2009, do Cláusula em 2014, além da Super Liga da Colômbia e da Copa Sul-Americana no ano passado. Iniciou sua carreira no Caracas e depois passou por Banfield, Deportivo Táchira, Standard Liège, Deportivo Quito e Santa Fe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.