Santista não aceita cair no tapetão

A possibilidade da Federação Paulista de Futebol anular os 22 jogos apitados por Edílson Pereira de Carvalho e Paulo José Danelon no último campeonato estadual provocou reações fortes e diferentes nos clubes diretamente envolvidos. A Portuguesa Santista não admite ser rebaixada no lugar do União Barbarense, que, por sua vez, acredita que não haverá mais o descenso e que o Paulistão de 2006 terá 24 clubes. ?Isto seria um absurdo. Eu vou até o inferno, mas a Portuguesa Santista não vai ser rebaixada", prometeu o presidente do clube, Carlos Alberto Amado Costa, indignado com a possível decisão da FPF. O presidente da Santista ressalvou, porém, que não foi comunicado oficialmente de nada e aguarda um parecer para discutir o caso pessoalmente na sede da entidade.O diretor de futebol do União Barbarense, Ulisses Tavares da Silva Filho, esteve na FPF na tarde desta segunda-feira para acompanhar as decisões de perto. Ele acredita que o Paulistão deste ano não terá clube rebaixado. Além do União Barbarense, caíram Internacional de Limeira, Atlético Sorocaba e União São João. Agora, caso os 22 jogos sejam mesmo anulados, como está sendo comentado na FPF, a Portuguesa Santista ocuparia o lugar do clube de Santa Bárbara entre os que deveriam disputar a Série A2 em 2006.

Agencia Estado,

03 de outubro de 2005 | 20h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.