Santista pode perder treinador

O técnico Muricy Ramalho pode estar deixando a Portuguesa Santista. Depois da derrota para o Palmeiras, no sábado, que diminuiu as chances do time de se classificar para as semifinais do Campeonato Paulista, o treinador negou a informação de que assumiria outra equipe para as disputas do segundo semestre."Eu não sei. Vocês precisam perguntar isso ao ?Seo? Virgílio Pina. Ele é que é o dono", desconversou Muricy, quando questionado sobre uma possível demissão. Pina é presidente do Grupo Multicargo, empresa responsável pela terceirização do futebol da Santista.Bastante irritado, o treinador preferiu creditar a derrota aos árbitros Robério Pereira Pires e Eduardo César Coronado Coelho. "Os juízes seguraram o jogo e inverteram muitas faltas. Aliás, eu já esperava por isso, em função da situação difícil que o Palmeiras atravessava no campeonato", disparou. "Já estive do outro lado, em um time grande, quando dirigia o São Paulo. Agora, encontro-me do lado oposto em uma equipe pequena e vejo o quanto é difícil", completou Muricy.Ao contrário dos últimos jogos, o clima no estádio Ulrico Mursa é de total desolação. A derrota de sábado deixou a Santista com remotas chances de classificação. Somando 20 pontos e tendo mais dois jogos pela frente, contra Matonense e Guarani, o time praticamente deu adeus às semifinais. O resultado também quebrou uma invencibilidade de sete jogos no estádio Ulrico Mursa.Com isso, outros integrantes do elenco santista também já devem estar arrumando as malas. Os atacantes Zinho e Tico Mineiro estão sendo pretendidos por clubes que disputam a Série A-2 do Campeonato Paulista. Um dos interessados é o Etti Jundiaí, líder da competição com 28 pontos. O Santo André também está de olho nos artilheiros, que somam oito gols cada na temporada.Para o próximo jogo, retornam ao time os meio-campistas Jean Carlo e Marcos Bazílio, o lateral Márcio Goiano e o zagueiro Orestes, que estavam suspensos. O único desfalque é o lateral-direito Valdir, que recebeu o segundo cartão amarelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.