Santista preparada para surpreender

O técnico Pepe já causou muitas surpresas neste campeonato e espera novamente surpreender o São Paulo, na primeira partida da semifinal do Paulista, no estádio do Morumbi, às 21 horas. "No jogo da outra fase, houve o empate e as duas equipes agora se conhecem melhor", disse o treinador, que espera um adversário com nova postura tática dentro de campo. Para ele, o São Paulo é sempre um adversário perigoso, especialmente em casa, mas a Portuguesa Santista espera chegar à final. "Chegamos até aqui e pretendemos ir um pouco mais à frente".Pepe brinca quando fala numa das vantagens de sua equipe para esse confronto. "No primeiro jogo, três ou quatro de nossos jogadores nunca tinham entrado no Morumbi. Já passou aquela fase de susto e agora o pessoal está controlado, tranqüilo e confiante para essa partida".O treinador não revela o esquema preparado para surpreender o São Paulo, mas garante que armou alternativas para as necessidades do jogo. "Temos um banco de qualidade e preparamos alguma coisa que pode ser utilizada durante a partida". Uma delas é o atacante Dinei, que foi relacionado pelo técnico. "Numa hora dessa, no mínimo ele pode chamar a torcida do Corinthians para torcer a nosso favor", disse Pepe. Mesmo tendo jogado apenas duas partidas pela Briosa, Dinei tem cumprido um papel importante junto aos jovens atletas. "É um orientador, um conselheiro dos garotos", comentou o treinador.Dilema - O artilheiro Rico tem seu vínculo federativo com o São Paulo e está emprestado à Santista para o Paulista. Ao término do campeonato, deverá se apresentar no Morumbi, mas nesta quarta-feira ele disse que nada sabe sobre isso. "Não sei se o São Paulo está interessado em meu retorno, mas há outras equipes que já manifestaram interesse no meu futebol", garantiu o atacante, que está mais preocupado com o confronto desta noite. "Trabalhei muito nos últimos dias para conseguir fazer um gol nesse jogo e ajudar o time a ir para a final".Com sete gols, Rico divide a artilharia do campeonato com o centroavante Ricardo Oliveira, do Santos. Como o time vizinho está eliminado, espera marcar mais para se isolar como artilheiro. "Meu objetivo é trabalhar sempre e conseguir o que sempre sonhei: jogar num time grande".Vantagem - O experiente zagueiro Zambiasi sabe que seu time joga com a vantagem, mas não concorda que o grupo irá trabalhar para garantir dois empates. "É uma vantagem, mas não podemos pensar em jogar por dois empates", disse. Ele pretende uma vitória no Morumbi para que o time possa administrar o resultado no último confronto, que pode ser na Vila Belmiro, no domingo. Zambiasi tem conversado muito com seus companheiros mais jovens. "Pode ser que muitos não consigam uma oportunidade de voltar a disputar uma semifinal e, por isso, é preciso aproveitar essa chance única para alguns da melhor forma possível".Com a equipe formada por jovens atletas, muitos falam na inexperiência como um ponto negativo da Portuguesa Santista. Zambiasi não concorda. "Precisamos parar de achar que o jogador só ganha experiência e maturidade depois dos 25 ou 30 anos". Para ele, cada um tem de ter a maturidade suficiente para saber o que está enfrentando. ?Essa é a grande oportunidade para nossos companheiros mais jovens".A receita de Zambiasi é que os jogadores não podem se acanhar. "A equipe já mostrou que tem qualidade e personalidade para jogar fora de casa". O meia Souza entende que a Portuguesa não pode mudar seu esquema de jogo, mas lembra que na partida contra o Guarani pelas quartas-de-final o time ficou um pouco nervoso. "Naquela partida, houve uma ansiedade muito grande porque uma derrota ia acabar com todo o nosso trabalho. Tirando essa partida contra o Guarani, não é preciso mudar nada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.