Santista quer neutralizar o Palmeiras

O técnico Nenê já avisou: a Portuguesa Santista respeita o Palmeiras, mas não teme. Nesta sexta-feira ele conclui os preparativos de seu time para o jogo que, em suas palavras, "é de vida ou de morte", e confia na entrada de Nando para a finalização das jogadas de ataque. Para segurar o adversário, tarefa que o treinador acha complicada, a solução que ele encontrou foi a de montar um esquema de marcação que neutralize a criatividade dos palmeirenses. "Todos vão ter de marcar, sem com isso jogar atrás, porque precisamos vencer", disse Nenê.Em sua avaliação, o Palmeiras é um time que tem a cara de seu treinador, Jair Picerni. "Os palmeirenses atacam sempre, pelos lados, pelo meio e é uma equipe muito agressiva". Ele preparou seus jogadores para "a alta pressão que o Palmeiras exerce e que não tem pausa o tempo todo".Por conta dessas características, ele entende que o melhor a fazer é tentar neutralizar a criatividade do adversário. "Se deixarmos eles gostarem do jogo, vai ser fatal; por isso temos de marcar forte, estar concentrado o tempo todo e não podemos nos intimidar em momento algum".Assim como seu time jogará com uma certa cautela, ele acha que o Palmeiras também terá de tomar seus cuidados. E é justamente no erro do adversário que ele pretende vencer a partida, com jogadas rápidas de contra-ataque comandadas por Marlon e João Fumaça. E, principalmente, com as conclusões de Nando, o artilheiro da equipe, com quatro gols marcados e que está volta para essa partida decisiva.

Agencia Estado,

19 de março de 2004 | 19h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.