Santistas aceitam apoio corintiano para chegar à Libertadores

Santos conta até com apoio da torcida corintiana para vencer o Goiás e continuar no G-4 do Brasileirão

Sanches Filho, para o Jornal da Tarde

24 de outubro de 2007 | 19h32

O Santos aceita qualquer tipo de ajuda para ganhar do Goiás sábado à noite, na Vila Belmiro, e aumentar as chances de classificação à Copa Libertadores da América de 2008. Até o apoio dos torcedores do arqui-rival Corinthians, interessados na derrota dos goianos para não agravar a situação desesperadora do time, que não consegue sair da zona de rebaixamento.   "Acho difícil corintiano torcer pelo Santos, mas se isso acontecer o apoio será bem vindo. Mas, o que eu mais quero é que a Vila Belmiro receba um bom público", disse o zagueiro Marcelo, que entrou no lugar de Domingos contra o Figueirense e será mantido no time contra o Goiás.   Única opção de Vanderlei Luxemburgo para substituir Adaílton e Domingos, Marcelo participou de 18 jogos no Campeonato Brasileiro e fez dois gols. Diante do Goiás, o zagueiro de 1,90m de altura promete não se limitar a ficar na defesa. "Sempre procuro explorar as jogadas aéreas e contra o Goiás vou subir ao ataque para tentar fazer gol."   O volante Adoniran, que cresceu no conceito de Luxemburgo depois de ter parado Valdívia no empate por 1 a 1 com o Palmeiras, é outro que conta com a torcida extra dos corintianos. "Espero que eles se juntem aos santistas", afirmou ontem, destacando que a presença de um grande público na Vila vai ser decisiva. "O torcedor fica perto do campo e o time sente o apoio", disse o substituto de Maldonado, que se recupera de nova lesão muscular.   Se contra o Palmeiras o desafio de Adoniran foi neutralizar Valdívia, no sábado a sua missão será impedir que o veterano Paulo Baier volte a desequilibrar como na vitória por 5 a 3 contra o Fluminense, no último sábado, no Serra Dourada, quando fez três gols. "É um jogador inteligente, versátil e que exige atenção redobrada. Apesar da idade (faz 33 anos hoje), ele dá muito trabalho."   No coletivo da tarde desta quinta-feira, no CT Rei Pelé, Luxemburgo vai decidir quem será improvisado na lateral-direita, em razão das suspensões de Baiano e Alessandro. Dionísio é o candidato mais forte. É difícil que o técnico opte pela escalação de um meia na posição, para deixar o time mais ofensivo. A menos que Vítor Júnior seja recuado, com a entrada de Rodrigo Tabata ao lado de Petkovic.   As chances de Pedrinho voltar a ser titular são remotas. Ele começou jogando a última vez contra o Vasco da Gama. Depois, atuou durante 13 minutos diante do Palmeiras. Em seguida foi ‘encostado’ e nem fez parte da delegação que viajou para Santa Catarina. Ontem, para dar uma entrevista a uma emissora da TV sobre o seu ex-companheiro de time Romário, impôs uma condição: não ter que responder sobre Luxemburgo.

Tudo o que sabemos sobre:
Brasileirão Série ASantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.