Santistas ainda reclamam do juiz

Esta quinta-feira foi mais um dia de queixas no Santos e o alvo era o juiz Alício Pena Júnior, responsabilizado pela derrota do time na partida de quarta-feira contra o Figueirense. O diretor de Futebol, Francisco Lopes, que foi tirar satisfações com o árbitro depois do jogo e foi contido pelo técnico Emerson Leão, estava mais calmo nesta quinta, mas ainda assim revoltado. "Isso já está enchendo, porque só acontece contra o Santos, que leva sempre gol aos 43, 44 minutos do segundo tempo." O goleiro Júlio Sérgio acredita que não teria tomado o gol se o juiz tivesse observado o costume de esperar a formação da barreira. "Eu ainda não estava posicionado quando o Sérgio Manoel chutou." Ele foi conversar com o juiz no final do jogo e ouviu que não era preciso autorizar e o adversário não tinha cometido nada de ilegal. "Foi um lance polêmico, que alterou o resultado do jogo." Paulo Almeida também estava inconformado. "O juiz havia falado que ia esperar a formação da barreira, eu era o homem de base e ainda estava de costas quando o Sérgio Manoel chutou."

Agencia Estado,

29 de abril de 2004 | 20h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.