Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Santistas esgotam ingressos e Vila Belmiro estará lotada no clássico com o Palmeiras

Equipe alvinegra tem a oportunidade de ultrapassar rival alviverde na tabela do Brasileirão

Redação, Estadão Conteúdo

26 de maio de 2022 | 19h20

As vaias no empate com o Banfield, por 1 a 1, terça-feira, mesmo com o Santos se garantindo às oitavas de final da Copa Sul-Americana, não significaram um rompimento entre time e torcida. A prova que o apoio das arquibancadas seguirá veio com os santistas esgotando todos os ingressos para o clássico com o Palmeiras, domingo, em somente 24 horas, para empurrar o time contra o jejum de vitórias. A capacidade da Vila é de 15 mil toorcedores. Os ingressos mais caros foram vendidos por R$ 120.

Pelo terceiro jogo seguido o Santos terá lotação máxima na Vila Belmiro para defender a invencibilidade no estádio sob o comando de Fabián Bustos. Com o treinador, foram sete vitórias seguidas e o empate com os argentinos. O retrospecto positivo deixa a torcida animada para quebrar o tabu de quase três anos sem ganhar do Palmeiras. O último triunfo da equipe ocorreu em outubro de 2019, com 2 a 0 na Vila Belmiro.

Com casa totalmente cheia, o Santos ganhou a "decisão" com o Unión La Calera e empatou com os argentinos para obter a vaga na Sul-Americana. Agora, faz duelo direto por posição na tabela do Brasileirão. O Santos soma 11 pontos, enquanto o Palmeiras, vice-líder, está com 12. A descontração fez parte dos trabalhos desta quinta-feira, no CT Rei Pelé. Foram muitas risadas em descontraído treino de bobinho entre os jogadores. Bustos também apareceu sorridente dando instruções de como quer a equipe atuando diante do forte oponente.

Enquanto muitos jogadores se divertiram nos trabalhos, o goleiro João Paulo não teve sossego. Ciente que vai encarar o melhor ataque da competição, com 12 gols ao lado do São Paulo, o camisa 34 trabalhou duro com o preparador Arzul. Foi um bombardeio de aprimoramento para parar Dudu, Rony e companhia. O titular foi bem e recebeu muitos elogios. "Boa, João, boa João", gritava Arzul a todo momento após as belas defesas do pupilo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.