Santo André culpa juiz pela derrota

Ninguém discute a qualidade técnica do São Paulo, mas também ninguém nos vestiários do Santo André deixou de reclamar da maneira como o time perdeu por 3 a 1, neste sábado à tarde, no Morumbi. A queixa principal recai sobre a marcação de um pênalti, de Rafinha sobre Mineiro, que praticamente definiu o placar para o tricolor. O culpado pelo tropeço virou unanimidade: o árbitro Phillipe Lombard.O técnico Sérgio Soares estava irritado e ainda no intervalo chegou a discutir rispidamente com Émerson Leão, técnico do São Paulo. "Só falei para ele que não tinha sido pênalti e que, agora, ele não falava nada. Justamente ele que é um tremendo chorão. A gente até falou alto, mas na volta do intervalo ele mesmo veio me pedir desculpas e está tudo bem".Os jogadores também acharam que a marcação do segundo gol são-paulino, aos 42 minutos do primeiro tempo com Rogério Ceni, atrapalhou de forma decisiva. "A gente ia voltar diferente no segundo tempo, mas o juiz atrapalhou tudo", afirmou o experiente Romerito.Para o zagueiro Gabriel, o resultado poderia ter sido outro. "A falta não existiu, e isso nos prejudicou. Esperávamos sair daqui com uma vitória mas, além do pênalti inexistente, o São Paulo soube fazer o que faz de melhor, jogar nos contra-ataques", resumiu o jogador.Mas o Santo André continua atrás dos pontos deste Campeonato Paulista, que possam lhe garantir vaga na Copa do Brasil e, para isso, tentará o resultado positivo terça-feira à noite, diante do Mogi Mirim. A equipe treina na segunda-feira às 15h30 e logo em seguida viaja para o Interior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.