Santo André vive momento de indefinição

A partida contra o Atlético-MG, pela segunda fase da Copa do Brasil, deve servir como um divisor de águas no Santo André, que venceu o confronto de ida no ABC por 3 a 0. Se confirmar a classificação, o clube deve tentar contratar alguns reforços, além de manter o técnico Luiz Carlos Ferreira. No entanto, uma eliminação pode resultar em um verdadeiro desmanche no elenco, às vésperas da estréia na Série B do Campeonato Brasileiro.Ao todo, cerca de 11 jogadores tiveram seus contratos terminados no último dia 31 de março e vários deles prorrogaram o compromisso até o dia 07 (próxima quarta-feira), quando seus futuros começam a ser definidos.Alguns jogadores, inclusive, já deixaram o clube, enquanto outros têm dia certo para fazê-lo. O meia Fumagalli (Marília), o volante Cléber Gaúcho (Criciúma) e o lateral Cláudio (Portuguesa) já saíram. O lateral-direito Alexandre foi negociado com a Ponte Preta, mas só deixa o elenco após o jogo em Belo Horizonte.O técnico Luiz Carlos Ferreira sabe que pode ter seu trabalho prejudicado pela falta de visão da diretoria no momento da assinatura dos contratos, mas garante que continua centrado na partida decisiva. "Os jogadores estão vivendo um momento especial em suas carreiras, assim como eu. Não podemos deixar as questões administrativas atrapalharem o nosso bom momento dentro de campo. Por isso partimos para Jarinú (local da concentração) nesta sexta-feira", explicou.Além dos quatro jogadores que já acertaram suas saídas, outros ainda estão com sua situação indefinida. São eles: os volantes Ramalho e Marquinhos Bolacha, o meia Vander, o lateral Da Guia e os atacantes Jean Carlo e Edmílson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.