Santos: 5 vitórias para a Libertadores

Mesmo sem Giovanni nas quatro próximas partidas, o Santos investe tudo na conquista da vaga para a Libertadores. A falta do meia, o principal jogador do atual time, lembra o problema vivido no ano passado, quando a equipe ficou sem Robinho (abalado pelo seqüestro de sua mãe) por um bom tempo e acabou conseguindo chegar ao título. Para atingir esse objetivo, será preciso ganhar mais 15 pontos dos 27 que ainda serão disputados. ?Sabiamos que, se conseguíssemos essa vitória contra o São Paulo, íamos ficar mais próximos da vaga e fomos beneficiados ainda por outros resultados da rodada?, disse o técnico Nalsinho Baptitsa, que fez uma advertência aos seus jogadores: ?vão sentir o peso da camisa do Santos chegando?. Para o treinador, a vitória no sábado foi o começo dessa caminhada e, nesta segunda-feira, ele começa a trabalhar a equipe para o jogo de quarta contra o Vasco. ?Estamos mais diretamente ligados à Libertadores agora e temos de continuar vencendo dentro do nosso objetivo de conseguir mais 15 pontos?. Já temendo a suspensão de Giovanni, Nelsinho Baptista mexeu na equipe, colocando Luciano Henrique ao lado de Ricardinho e, para dar mais velocidade ao ataque, escalou Basílio e Geílson nessa função. Ele pode fazer novas mudanças, com base no que observou no clássico de sábado. ?Vamos dar personalidade à equipe e sabemos que vamos ficar mais quatro partidas sem ele (Giovanni) e não podemos ficar de braços cruzados?. Os jogadores estão cientes desse objetivo traçado pelo clube de ficar com uma das disputadíssimas vagas para a Libertadores e o lateral-direito Paulo César comentou que ?o time está muito concentrado e, depois de errar muito durante o campeonato, não pode mais cometer erros?. A mão do treinador apareceu no intervalo do clássico e o atacante Basílio, que readquiriu a condição de titular, comentou que o time mudou de postura na etapa final depois da bronca que o treinador deu. ?Ele falou que o time podia jogar um pouco melhor e, mesmo não sendo um ótimo segundo tempo, conseguimos os gols e a vitória?. Basílio deu o passe para Geílson marcar o segundo gol do Santos, num rápido contra-ataque aproveitando que Rogério Ceni tinha ido cobrar falta e não conseguiu voltar a tempo para sua área. ?Ele é um grande batedor, mas ficamos na expectativa de que pudesse errar e proporcionasse o contra-ataque, o que acabou acontecendo?.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2005 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.