Santos adia julgamento e vai receber Corinthians na Vila

Se em campo o Santos vem tendo um ótimo início de temporada, liderando o grupo 8 da Libertadores e o Campeonato Paulista, fora dele também mostra competência. O seu departamento jurídico obteve importante vitória, nesta segunda-feira, ao adiar o julgamento dos incidentes do clássico com o São Paulo, do dia 11 passado, no Tribunal de Justiça Desportiva. Assim, o jogo do dia 28, contra o Corinthians, está mantido para a Vila Belmiro, mesmo que a sessão seja marcada para a próxima segunda-feira e o estádio fique interditado, porque o clube precisaria ser notificado com cinco dias de antecedência. "Tomamos conhecimento da citação apenas na sexta-feira e entramos com uma petição no TJD no mesmo dia, alegando a falta de prazo para instruir o processo. E hoje [segunda], o presidente do órgão [Naief Assad Neto] despachou favoravelmente", disse o advogado Mario Melo, do jurídico santista. Santos e São Paulo foram denunciados no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva e correm o risco de serem punidos com perda de um a 10 mandos de jogos ou realizaram partidas em seus estádios com os portões fechados. Se o julgamento tivesse sido realizado nesta segunda e o Santos fosse punido com a pena mínima, ficaria impedido de enfrentar o Corinthians na Vila Belmiro, na quarta-feira da próxima semana. Outra hipótese seria realizar o jogo no seu estádio, mas sem a presença de público. Depois da partida contra o Corinthians, o time só voltará a jogar na Vila Belmiro na última rodada, no dia 11 de abril, quando receberá o Juventus - isso se o resultado do julgamento for favorável. "Agora teremos mais tempo para juntar documentos, vídeos, fotos e arrolar testemunhas, exercendo o nosso amplo direito de defesa", disse Melo. O advogado do Santos insiste em sua linha de defesa que os maiores responsáveis pelas cenas de vandalismo na Vila Belmiro, desde o enfrentamento de torcidas dentro do estádio até o arremesso de um vaso sanitário, são os torcedores do São Paulo e a Polícia Militar, que teria cometido erro estratégico. Melo refere-se ao fato de a torcida organizada Tricolor Independente ter chegado atrasada ao estádio e colocada no setor abaixo ao destinado aos santistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.