Ricardo Saibun/Estadão
Ricardo Saibun/Estadão

Santos adia julgamento para ter Neymar em clássico contra o Corinthians

Departamento juridíco do clube conseguiu mudar data de reunião no TJD, que seria em 25 de fevereiro, ficou para o dia 4 de março

AE, Agência Estado

22 de fevereiro de 2013 | 20h22

SANTOS - O Santos conquistou uma vitória fora dos gramados nesta sexta-feira. Isso porque o departamento jurídico do Santos conseguiu o adiamento do julgamento de Neymar por conta de sua expulsão contra a Ponte Preta, domingo passado. Assim, garantiu a presença do craque no clássico contra o Corinthians, marcado para 3 de março, no Morumbi.

O julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva estava marcado para a próxima segunda-feira, mas agora só vai acontecer no próximo dia 4, depois do clássico. Como cumpre a automática diante do XV de Piracicaba, Neymar só não entra em campo para pegar o Corinthians se tiver problemas físicos.

"Entramos com o pedido e ele foi deferido pelo presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol Paulista", explicou o advogado do Santos, João Vicente Gazolla.

Neymar pode pegar até 15 jogos de suspensão pela expulsão. Ele se envolveu numa confusão com o lateral-direito Artur, ex-Palmeiras. De acordo com a súmula do árbitro Luiz Flávio de Oliveira, o craque foi expulso por "desferir um chute entre as pernas" do adversário "Segurado pelo rosto, Neymar desfere dois tapas no braço do adversário", completa o juiz.

O santista foi indiciado com base no artigo 254-A, inciso I, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que fala em punir quem "desferir dolosamente soco, cotovelada, cabeçada ou golpes similares" com punição de quatro a 12 partidas, e também no artigo 250, por "praticar ato desleal ou hostil durante a partida, prova ou equivalente", podendo pegar suspensão de uma a três partidas. As penas, somadas, podem chegar a 15 partidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.