Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Santos bate o Água Santa, escapa do rebaixamento, mas não se classifica às quartas do Paulistão

Time alvinegro evita vexame histórico na Vila Belmiro com vitória por 3 a 2, a primeira sob o comando de Bustos. Resultado do Santo André sobre a Inter de Limeira é decisivo para a equipe da Baixada não avançar no Estadual

Rodrigo Sampaio, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2022 | 18h05

O Santos tinha uma missão importantíssima neste sábado diante do Água Santa, na Vila Belmiro: escapar de um rebaixamento inédito no Paulistão. Jogando bem, o time de Fabián Bustos venceu por 3 a 2, cumpriu a árdua tarefa e evitou um vexame histórico para o clube da Baixada na última rodada da fase de grupos. No entanto, a primeira vitória sob o comando do técnico argentino teve um sabor amargo. Com o triunfo do Santo André diante da Inter de Limeira, pelo segundo ano consecutivo a equipe santista ficou pelo caminho e não se classificou às quartas do Estadual. Perde dinheiro e prestígio. 

Contando com os gritos de apoio que vinham da arquibancada, o Santos buscou pressionar o Água Santa desde o início. Logo aos 3 minutos, Lucas Barbosa arriscou de fora da área, obrigando o goleiro Victor Souza a fazer boa defesa. Antes dos 10 minutos, o clima começou a esquentar na área santista durante um escanteio adversário, com o atacante Alex Silva, do time de Diadema, batendo boca com o João Paulo. Tudo ficou pior quando Fernandinho quase fez olímpico e Dadá Belmonte aproveitou a confusão na área para abrir o placar para os visitantes, aos 9 minutos.

Mostrando personalidade, o Santos saiu para o ataque após o recomeço de jogo. Sob os gritos “Santos, o time da virada”, os comandados de Bustos fizeram boa trama na entrada da área e Vinicius Zanocelo aproveitou uma bola rebatida para matar no peito e acertar um belo chute de fora da área, empatando a partida aos 11. Apenas quatro minutos depois, a defesa do Água Santa ficou desatenta em uma cobrança de lateral pela esquerda, dando espaço para Lucas Braga cruzar para Ricardo Goulart, que acertou o canto da meta adversária com um lindo peixinho.

Mesmo após a virada, o Água Santa não se retraiu e o jogo foi para a “trocação”. O time visitante tentou jogadas pelas pontas, dando ainda mais espaço para os donos da casa, que aproveitaram as brechas e, aos 25, conseguiram uma falta perigosa na entrada da área. Marcos Leonardo bateu no contrapé de Victor Souza, obrigando a defesa do goleiro. O troco veio já no minuto seguinte, com Bruno Reis aparecendo livre pela direita e buscando o canto de João Paulo, que salvou a pátria alvinegra. No contra-ataque, Lucas Barbosa subiu livre pela direita, driblou o zagueiro e chutou colocado, com Victor Souza evitando mais uma vez o terceiro. No mesmo instante, o Santo André fez 1 a 0 sobre a Inter de Limeira, tirando momentaneamente as chances de classificação do time da Vila. 

O abafa do Santos voltou a dar resultado aos 29 minutos. Lucas Pires cobrou escanteio na cabeça do zagueiro Kaiky, que subiu mais alto que a defesa adversária e balançou as redes para fazer 3 a 1. Mesmo com o gol, o banco de reservas santista pouco comemorou. Isso porque logo chegou a informação do segundo gol do Santo André, deixando o alvinegro praiano ainda mais distante das quartas de final. Mesmo com os resultados contra, o Santos não parou e voltou a agredir o Água Santa. Aos 40, o time aproveitou o erro da zaga para fazer boa troca de passes e finalizar com Ricardo Goulart, sem sucesso. 

Na volta para o segundo tempo, a chuva deu o ar da graça na Vila Belmiro e os times reiniciaram a partida se estudando mais. A primeira finalização na etapa final veio apenas aos 10 minutos, quando Fernandinho limpou pela esquerda e arriscou, para defesa segura de João Paulo. O Santos respondeu em cobrança de escanteio. Lucas Pires mais uma vez fez boa cobrança de escanteio, obrigando a defesa do Água Santa a fazer um corte providencial e evitar o segundo de Ricardo Goulart. A equipe santista voltou a assustar quatro minutos depois, em mais um córner. Lucas Barbosa pegou a sobra e bateu colocado, com a zaga adversária travando o lance. 

O Água Santa até esboçou alguma reação com chutes de fora da área, mas a etapa final seguiu morna até os 26 minutos, quando Alex Silva por pouco não diminuiu para a equipe de Diadema após o erro de Lucas Pires na cobertura. O Santos acordou e tentou finalização com Ricardo Goulart depois de cruzamento da direita, mas o árbitro indicou falta do atacante. 

A partida ainda marcou o retorno de Carlos Sánchez, que entrou no lugar de Goulart aos 34 do segundo tempo. O uruguaio viu de dentro do gramado Eduardo Bauermann segurar David após levar drible e ser punido com o segundo cartão amarelo, indo para o vestiário mais cedo. Na cobrança da falta, Fernandinho jogou na área e encontrou Rodrigo Sam, que cabeceou sem chances para João Paulo e diminuiu o placar para 3 a 2. 

O Água Santa voltou a se animar após o gol, tentando aproveitar a vantagem numérica em campo, mas sem êxito. O goleiro Victor Souza chegou a ir para área em cobrança de escanteio, mas a batida não levou perigo. O juiz ergueu os braços aos 49, finalizando a partida. Sob vaias, o Santos foi para o vestiário aos gritos de "time sem vergonha". 

No ABC, o Santo André manteve o resultado de 2 a 0 e garantiu a classificação no Grupo D, com 15 pontos, um a mais que o Santos, que mais uma vez fica fora da disputa na fase de grupos. Com o empate em 2 a 2 da Ponte Preta com o Ituano, o Água Santa também se livrou do rebaixamento por ter melhor saldo de gols que o time de Campinas. O Santos volta a campo apenas no dia 10 de abril, quando encara o Fluminense, fora de casa, pela rodada de estreia do Campeonato Brasileiro. 

FICHA TÉCNICA

SANTOS 3x2 ÁGUA SANTA

SANTOS - João Paulo; Auro, Kaiky, Eduardo Bauermann e Lucas Pires; Camacho (Velázquez), Vinícius Zanocelo (Sandry) e Ricardo Goulart (Carlos Sánchez); Lucas Braga, Marcos Leonardo (Rwan) e Lucas Barbosa (Léo Baptistão). Técnico: Fabián Bustos.

ÁGUA SANTA - Victor Souza; Alex Silva, Elder, Jeferson Bahia e Rhuan (Alyson); Rodrigo Sam, Caique e Vinícius Reis (Arthur Korek); Dadá Belmonte (Álvaro), Lelê (David) e Fernandinho. Técnico: Sérgio Simões (interino).

GOLS: Dadá Belmonte (9 1ºT), Vinicius Zanocelo (11 1ºT), Ricardo Goulart (14 1ºT), Kaiky (29 1ºT) e Rodrigo Sam (40 2ºT). 

ÁRBITRO - Vinícius Gonçalves Dias Araújo.

CARTÕES AMARELOS: Vinicius Zanocelo, Rodrigo Sam e Eduardo Bauermann (2).

CARTÕES VERMELHOS: Eduardo Bauermann

PÚBLICO: 10.718

RENDA: R$ 258.837,50

LOCAL - Vila Belmiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.