Reprodução/Santos FC
Reprodução/Santos FC

Santos alega interferência em decisão de árbitro e pede anulação de jogo

Clube afirma que repórter de campo da TV Globo teria falado com o quarto árbitro, que por sua vez teria informado o juiz da partida, Leandro Vuaden

Estadão Conteúdo

27 de julho de 2017 | 17h02

O Santos enviou nesta quinta-feira um ofício à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em que pede a anulação da partida contra o Flamengo da última quarta-feira, válida pelas quartas de final da Copa do Brasil, por suposta interferência externa na decisão do árbitro gaúcho Leandro Pedro Vuaden de voltar atrás na marcação de um pênalti para o Santos no jogo, além de solicitar a adoção de outras decisões e punições.

Perto do fim do primeiro tempo, quando o duelo estava empatado em 1 a 1, Vuaden marcou pênalti de Réver em Bruno Henrique, mas acabou recuando na decisão após cerca de um minuto, depois de conversa com o quatro árbitro Flávio Rodrigues de Souza.

"Novamente, estamos diante de um caso em que o árbitro revoga sua marcação por comunicação do quarto árbitro, cuja participação teria sido provocada pelo repórter de campo, senhor Eric Faria, da Rede Globo de televisão, que é elemento alheio ao certame, devendo se comportar como jornalista e não como torcedor de seu time do coração", escreve o Santos em seu ofício.

Além disso, o Santos afirma ter provas em vídeos e fotografias que o repórter avisou ao quarto árbitro que o pênalti não ocorreu, informação que teria sido repassada a Vuaden. "Reportar ao 4º árbitro sua impressão do lance após ver replay na televisão não é função nem atitude condizente com um jornalista esportivo. Esta ação repudiável foi testemunhada por dezenas de pessoas e pode ser constatada no vídeo da partida e em fotografias tiradas por outros veículos de mídia", afirma o Santos.

De acordo com o clube paulista, situações semelhantes teriam ocorrido em outros dois jogos recentes do Flamengo, diante do Fluminense, em outubro de 2016, e contra o Avaí, em junho.

Assim, o Santos defende a anulação da partida, que terminou com vitória da equipe por 4 a 2 - o Flamengo acabou avançando às semifinais da Copa do Brasil pelo número de gols marcados como visitante, pois havia triunfado no jogo de ida, como mandante, por 2 a 0.

"Tais fatos devam ensejar a anulação da partida, pelo bem do futebol nacional e da credibilidade da entidade", afirma o Santos. "As decisões do árbitro são soberanas e a interferência externa não é autorizada pela Fifa ou CBF, tampouco recomendada pela comissão de arbitragem nacional", acrescenta.

O Santos também faz mais três pedidos, de punições para o juiz e também ao jornalista que o clube acusa de ter se comunicado com a arbitragem. "Proibir que repórteres permaneçam na lateral do campo e se comuniquem com a equipe de arbitragem durante as partidas; Punir adequadamente a equipe de arbitragem que atuou em referida partida; Descredenciar o Sr. Eric Faria como repórter de campo", escreve o clube.

Em seu perfil na rede social Twitter, Eric Faria negou ter conversado com o quatro árbitro sobre o lance que envolveu Bruno Henrique e Réver. "Alguns me acusam de ter falado com o quarto arbitro. Leviano. Mentiroso. Quem estava mais perto dele? O Levir Culpi. Cuidem de suas frustrações", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCSantos Futebol ClubeFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.