Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Santos amarga o fim do sonho de disputar a Libertadores em 2016

Perda do título da Copa do Brasil aumenta decepção da equipe

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

03 de dezembro de 2015 | 07h02

A perda do título da Copa do Brasil aumentou a decepção no Santos. Isso porque foi a segunda oportunidade que o time desperdiçou de chegar à Copa Libertadores, depois de chegar bem perto. Já havia deixado a vaga escapar no Campeonato Brasileiro e nesta quarta-feira viu ir por terra a última chance de chegar ao torneio continental.

O único consolo para os santistas, após a derrota por 2 a 1 no Allianz Parque, foi a eleição de Lucas Lima como melhor jogador da Copa do Brasil. O meia não teve grande atuação na segunda partida da decisão, mas seu desempenho ao longo do torneio contou para que fosse escolhido o melhor.

O Santos, nesta quarta-feira, esteve apático em alguns momentos, o que irritou o técnico Dorival Júnior. Depois de um primeiro tempo em que conseguiu manter a calma, na etapa final ele perde a paciência com a complacência do time, mesmo quando o Palmeiras ficou em vantagem.

Nesta quarta-feira, as contusões de David Braz, ainda no primeiro tempo, e de Gabriel contribuíram para reduzir o ânimo do time. Além disso, jogadores que vinham bem, como Lucas Lima e Marquinhos Gabriel, foram bem marcados e tiveram atuações apagadas.

Ainda assim, o Santos teve uma temporada positiva, considerando-se que no começo do ano muitos achavam que o time, por causa da grave crise financeira do clube, estaria longe das disputas pelos títulos. Mas o Santos acabou campeão paulista e pelo menos chegou à final da Copa do Brasil.

A partir de agora a diretoria vai ter mais trabalho para manter no elenco jogadores que se destacaram em 2015. As principais dificuldades recaem sobre Lucas Lima e Marquinhos Gabriel. Um está na mira do futebol europeu e outro termina o contrato de empréstimo com o futebol árabe.

Lucas Lima, de 25 anos, tem como um dos principais interessados o Porto. O clube chegou a fazer proposta de R$ 82 milhões pelo jogador, que tem sido convocado por Dunga para a seleção brasileira. A negociação do titular absoluto de Dorival Júnior pouco renderia ao Santos, dono de apenas 10% dos direitos econômicos. O restante pertence a empresários.

"Existem algumas propostas. Jogador quando quer ficar ninguém segura. Todos esses jogadores têm contrato com o Santos, tem um bom salário e recebem em dia", disse o presidente do Santos, Modesto Roma Junior.

No caso de Marquinhos Gabriel, a negociação é para ou renovar o empréstimo ou garantir a aquisição definitiva. O jogador pertence ao Al-Nassr, da Arábia Saudita, e tem vínculo somente até o fim do ano. O preço fixado para a compra dele é de cerca de R$ 16 milhões, valor elevado para os padrões da equipe. Uma opção é tentar esticar a permanência no Santos, com a renovação do empréstimo.

A boa fase do jogador, que marcou um belo gol na semifinal contra o São Paulo, fez Dorival Júnior pedir para que ele fique. "O Marquinhos recuperou sua confiança e está desenvolvendo o melhor de sua condição. Para mim, a maior contratação de 2016 seria a permanência dele", disse. O próprio meia também prefere continuar no Brasil.

O artilheiro da Copa do Brasil, Gabriel, é outro que sempre recebe sondagens de times europeus desde as categorias de base. Para se prevenir, o Santos renovou contrato com ele até 2019, além de estipular uma multa rescisória de R$ 150 milhões. O clube é dono de 40% dos direitos econômicos dele.

A mesma precaução a diretoria tomou com Thiago Maia. O volante de 18 anos recebeu propostas da Juventus e do Monaco, até o Santos se antecipar e firmar em outubro um novo contrato. O acordo firmado até 2019 prevê multa rescisória de R$ 220 milhões, fora aumento gradual de salário.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCDorival Júnior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.