Santos amplia folga e descontrai jogadores

A boa notícia chegou cedo para os jogadores do Santos: a folga que era só no domingo foi ampliada para o final de semana todo, com reapresentação só na segunda-feira. Depois de um treino físico, os atletas foram dispensados e não escondiam a alegria com mais um dia para descanso. Já o técnico Leão realizou na quinta-feira, no Hospital Alberto Einsten, uma artroscopia no joelho esquerdo e passou o comando da equipe para seu auxiliar, Pedrinho Santilli. Com a folga anunciada, a descontração foi geral no CT Rei Pelé. Fábio Costa era um dos mais brincalhões e seu alvo principal foi o massagista Ary Jarrão. Depois das entrevistas, cada um partiu para seu programa: Léo foi conhecer Campos do Jordão, André Luís foi ver sua mãe em Bagé e outros foram até o Guarujá andar de jet-ski. Só na segunda retomam os treinamentos e, à noite, viajam para a capital mato-grossense, onde enfrentam o Cuiabá na terça-feira. O clima foi ajudado também pela vitória sobre o Flamengo por 3 a 0, resultado que garantiu a continuidade do time na Copa Sul-americana, devendo enfrentar nessa fase o São Caetano. E André Luís comemorava a classificação e também o fato de a defesa só ter sofrido um gol nas últimas quatro partidas e assim mesmo de pênalti cometido por Robinho, um atacante. "O entrosamento está dando certo e é muito importante a gente tomar poucos gols para facilitar o trabalho do ataque e vencer as partidas", disse André Luís. O zagueiro não se irrita quando os locutores o confundem com Alex, que completa a torre gêmea da defesa santista. "Já estamos acostumados e isso não preocupa mais, pois sabemos que o importante é fechar o setor para impedir o sucesso dos atacantes". Além desse trabalho de destruição, sempre que podem os jogadores da defesa procuram auxiliar o ataque. "Quando sobra uma brecha, procuramos também fazer nossos gols", disse André Luís, que marcou duas vezes enquanto Alex fez quatro gols neste Brasileiro. André Luís não vê mudança em seu estilo de jogo. "Sempre jogo sério, duro e firme, mas tem hora que a gente tem de arrepiar, dar uma chegada mais forte porque o zagueiro tem que impor o respeito senão o atacante toma conta". William - Quem também tinha motivos para comemorar era o centroavante William, autor de dois gols na vitória sobre o Flamengo e que espera ter conquistado a camisa de titular. "Quando voltei da seleção pan-americana queria que minha hora chegasse para mostrar meu potencial, demonstrar que tinha condições de ser o centroavante titular do Santos". William revelou que teve bons momentos no Santos. "Sempre que entrei fiz gols e jogadas boas que ajudaram a equipe e estou vivendo um momento bom: estive bem na seleção, embora não tivesses conseguido o título e fiz agora esses dois gols". Por isso, acha que é a hora certa para agarrar a oportunidade. O centroavante não vinha sendo aproveitado pelo técnico Leão, que não gostou da atuação do jogador nas vezes em que foi escalado. Ele estreou junto com Diego, no ano passado, numa partida contra o América-RJ. O jogo estava empatado, o time apático dentro de campo e o então técnico Celso Roth fez as duas alterações no segundo tempo. Os dois deram novo ritmo ao jogo e em poucos minutos os santistas fizeram três gols. Mas William não conseguiu manter uma regularidade e nunca conseguiu segurar a camisa de titular por muito tempo. "Sempre faltou uma seqüência de jogos para me firmar e vamos ver se desta vez isso acontece e tenha sucesso". O atleta disputa com Marcelo, Val Baiano e Douglas a posição que já foi de Ricardo Oliveira. Desde a saída do artilheiro, Leão vem procurando uma solução para o comando do ataque, testando até mesmo Elano e Fabiano, além dos jogadores da posição".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.