Amr Abdallah Dalsh/ Reuters
Amr Abdallah Dalsh/ Reuters

Santos anuncia a contratação do técnico Jesualdo Ferreira para o lugar de Sampaoli

Português de 73 anos chega à Vila Belmiro com passagens por Porto, Sporting e Benfica no currículo

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2019 | 11h08

A diretoria do Santos confirmou nesta segunda-feira a contratação do técnico Jesualdo Ferreira. O experiente treinador português, de 73 anos, assinou contrato até o fim de 2020 para substituir Jorge Sampaoli à frente da equipe. O Santos temrinou o Campeonato Brasileiro na segunda colocação, atrás apenas do Flamengo. "Seja bem-vindo, professor!", anunciou o clube paulista nas redes sociais.

Jesualdo, em sua primeira passagem por um clube da América do Sul, será apresentado oficialmente no dia 6 de janeiro. De acordo com o Santos, a comissão técnica do novo treinador será definida nos próximos dias. Ele será o 16º estrangeiro a comandar o time santista.

Em seu currículo estão grandes times do futebol de Portugal como Porto, Sporting e Benfica. No domingo, Eddie Ferrer, filho de Ferreira, contou em suas redes sociais que o treinador estava em conversas com o Santos e que assumiria o time brasileiro para a próxima temporada. No entanto, a oficialização do acerto só foi feita na manhã desta segunda. Ele terá prioridade na renovação no fim da temporada.

Jesualdo chega à Vila para assumir cargo deixado pelo seu antecessor, o argentino Jorge Sampaoli, que após deixar a equipe da Baixada cogitou acertar sua vida no Palmeiras e, depois,  Atlético-MG. Não conseguiu, no entanto, definir as bases salarias, e continua sem clube. Em suas redes sociais, o Santos fez brincadeiras ao postar diversas mensagens indiretas, sendo que em uma delas uma chaminé exala fumaça branca, em referência à escolha do próximo Papa, deixando a entender que o martelo fora batido com relação a Jesualdo Ferreira.

Aos 73 anos, Jesualdo Ferreira atua como treinador desde 1981, quando dirigiu o Rio Maior, pequeno clube português já extinto. Em sua carreira, o profissional teve passagens pelos três times grandes de seu país (Benfica, Sporting Lisboa e Porto) e trabalhou também em clubes da Espanha, da Grécia e do Egito, além de ter dirigido a seleção portuguesa sub-21 na década de 1990. Ele não era um dos grandes treinadores do país, tampouco o mais badalado.

O ponto mais alto de sua trajetória foi o tricampeonato português, conquistado no comando do Porto - 2006/2007, 2007/2008 e 2008/2009. Seu último trabalho foi no Al-Sadd, do Catar, clube que ele deixou no primeiro semestre deste ano, e que estava no Mundial de Clubes da Fifa. Em entrevista ao jornal português A Bola, chegou a dizer que estava pensando em encerrar a carreira, mas a chance de trabalhar no Santos o fez mudar de ideia. Sabia que estaria no Santos de Pelé. Ele ainda não teve contato com o elenco, que terá de passar por uma avaliação quando chegar.

Desde a saída de Sampaoli, o Santos buscava um treinador estrangeiro para substituí-lo. A ideia inicial era contratar um outro argentino, mas as opções que o clube tinha mostraram-se inviáveis e a diretoria alvinegra, inspirada pelo grande sucesso de Jorge Jesus no Flamengo, decidiu buscar em Portugal o seu treinador para a próxima temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.