Santos apresenta seus novos garotos

Depois de 118 dias afastado das competições oficiais, o Santos estréia às 16 horas no Brasileiro, enfrentando o Botafogo, na Vila Belmiro. A principal novidade é o elenco, composto em sua maioria por atletas jovens e que dá ao time que entrará amanhã em campo uma idade média de 22 anos. Com isso, a equipe ficou "mais veloz, mais atrevida", como analisa o lateral Léo, o mais velho do grupo, com 27 anos. Mas também mais ansiosa, conforme os próprios jogadores admitem. Conter essa ansiedade na estréia foi o trabalho no lado emocional desenvolvido pelo técnico Leão. Os jogadores sabem que o Botafogo irá utilizar a velha tática que os adversários adotam na Vila Belmiro: segurar o jogo nos primeiros 20 minutos para que a torcida santista se volte contra seu próprio time. "Eles vão querer segurar o jogo, mas sabemos que temos 90 minutos para vencer a partida e não nos afobaremos na busca do gol", disse o volante e capitão do time, Paulo Almeida, de 21 anos. Ele admite que a ansiedade pela estréia é grande, mas acha que a confiança é maior ainda. "O período de treinamento foi muito bom e vamos fazer em campo o que fazemos no CT". Os atletas estão confiantes também no apoio da torcida. "Os torcedores sabem que é um time jovem, em formação, e vai nos apoiar nessa luta para a conquista do título, luta que é deles também", disse o lateral-esquerdo Léo, animado com a nova equipe. "Mudou tudo e os garotos estão com um futebol atrevido, com muita velocidade e qualidade e o esquema de jogo que o técnico Leão adotou favorece nossa equipe", disse o mais experiente jogador da equipe. Por isso, está preparado para orientar os companheiros na hora certa. "Estaremos sempre lá atrás orientando e dando todo o respaldo para a garotada". Diego, de 17 anos, foi a revelação santista no Rio-São Paulo. Ainda com espinhas no rosto, acha que sua responsabilidade aumentou muito nesse campeonato. "A responsabilidade ficou mesmo muito grande, até porque estou assumindo a posição de Robert, o cérebro do time". Mesmo sem esconder a ansiedade da estréia, revela confiança: "se estou na equipe é porque tenho qualidade". Já o atacante Robinho, com 18 anos, ganha sua primeira chance no time principal e pode ser um dos principais destaques do Santos no Brasileiro. "Estou pronto, assim como toda a equipe, para uma grande campanha". Como já atuou com a maioria dos colegas nas equipes de baixo, está bem familiarizado com o novo grupo. "O entrosamento é muito bom e esperamos que tudo dê certo dentro de campo". O técnico Leão procura tirar o excesso de ansiedade que a estréia representa para seus jogadores. Ele disse aos jornalistas: "vocês falam muito em torcida, em ansiedade em estar preparado. Ora, o futebol é um só, a bola é igual no treinamento e no jogo; a condição psicológica é que tem de ser preparada, mais para uns, menos para outros, nada mais do que isso". Não quer, com isso, que se jogue uma excessiva responsabilidade em seus jogadores. Robert - O meia Robert treinou hoje à tarde separado do grupo e não deu entrevista à imprensa. Pretende falar só quando sua situação estiver resolvida definitivamente. O Santos tenta um acordo para reduzir seu salário e, não havendo essa possibilidade, a negociação partirá para uma rescisão amigável de seu contrato, que vence em 31 de dezembro deste ano.

Agencia Estado,

09 Agosto 2002 | 19h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.