Santos ataca Atlético-MG com Elano

Com a suspensão de Fabiano, o técnico Leão terá de inovar para o jogo de amanhã contra o Atlético-MG, na Vila Belmiro. Para isso, contará mais uma vez com o curinga Elano, que atuará mais avançado, como um terceiro atacante. "Não tem muito que esconder: o Robinho joga pela direita, o Nenê pela esquerda e o Elano pelo meio", explicou o treinador, fazendo questão de destacar que a função de Elano não será a de centroavante: "ele vai correr, criar e chutar". O treinador, que hoje foi condenado pelo STJD a pagar multa de R$ 270,00 pela sua expulsão contra a Ponte Preta, destacou que "Elano tem uma concepção tática muito inteligente e me ajuda bastante". No treino de hoje, o meia já fez essa função de jogar mais avançado. E isso não o preocupa: "comecei como meia-direita, mas atuei muito como atacante na Copa dos 500 Anos, de aspirantes e marquei 15 gols". Sua experiência no setor como profissional ocorreu na passagem de Celso Roth pela Vila Belmiro, mas na Inter de Limeira e Guarani jogou como centroavante. "Espero fazer bem essa função e acho eu não haverá problemas, pois o entrosamento com os companheiros é bom". Satisfeito com os elogios de Leão pela sua versatilidade tática, acha que pode render mais em termos de gol. "O Santos é um time que cria muitas oportunidades e, mais perto da área, a possibilidade de marcar é sempre maior". Mudar de função dentro de campo não tem sido um problema para Elano. "Com o Cabralzinho cheguei a jogar como segundo volante e com Celso Roth fui escalado mais à frente", lembrou. Com a chegada de Leão, passou a ser um os principais jogadores do time justamente pela aplicação tática. Na era Leão, Elano começou na meia, mais como marcador, depois foi chamado para ser mais ofensivo. Com o problema na lateral-direita, o atleta foi o escolhido para solucioná-lo, embora Leão sempre tenha achado que é um desperdício aproveitar um jogador polivalente como ele na lateral. "Realmente, é mais limitado jogar ali naquela faixa do campo, mas sempre fiquei satisfeito de fazer essa função quando me foi pedido porque estava ajudando o time". Vitória - Leão conta com uma vitória amanhã contra o Atlético-MG para continuar entre os primeiros na tabela. Para evitar os problemas de posicionamento ocorridos na derrota para o Grêmio, ele chamou a atenção de Paulo Almeida e de Diego, que voltaram da seleção com uma função diferente da que vinham realizando no Santos. "O Paulo Almeida estava enfiado atrás da defesa, posicionamento totalmente errado em que ele voltou da seleção e vai jogar na frente", comentou o treinador, completando: "Não queremos o Diego e o Paulo Almeida atrás, queremos os dois olhando para a frente, no campo do adversário". Isso acaba sendo importante numa partida como essa, em que o Atlético-MG deverá jogar fechado na Vila Belmiro. Na observação do treinador santista, "o adversário vem subindo de produção, se articulando melhor e toda vez que joga fora atua mais se defendendo e no contra-ataque". Com a opção por três atacantes, o Santos deverá se movimentar muito no campo adversário, já que todos têm liberdade e facilidade para se revezar nas posições. "Tem de haver uma harmonia muito grande, pois o Santos tem jogadores de qualidade e cabe a nós não ficarmos fixos, pois seríamos presa fácil para a defesa adversária". Com essa intensa movimentação, os santistas esperam também fugir da marcação cada vez mais eficiente dos adversários principalmente em cima de Diego e Robinho, que não têm encontrado muito espaço para evoluir. "Realmente, a marcação individual está ficando cada vez mais forte: pego a bola e já sofro falta", comentou Diego. O que ele tem feito é procurar abrir espaço para outros companheiros. O meia disse que essa marcação homem-a-homem já não o irrita mais. "No infantil, ficava irritado e era expulso; agora, acho que faz parte da tática e procuro sempre superar os marcadores". Robinho também entende que a movimentação constante é a melhor maneira de fugir da marcação. "Os treinadores já sabem quais são as principais peças do Santos e determinam marcação forte e individual para fechar os espaços", disse o atacante, que não tem conseguido repetir as atuações e jogadas que o destacaram no ano passado. O zagueiro Alex é a única dúvida para o jogo de amanhã. Ele sentia dores no joelho, foi poupado no treino de segunda-feira e hoje, liberado pelos médicos, começou o coletivo, mas logo teve de sair. Leão não descartou sua escalação, preferindo aguardar para decidir isso amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.