JF Diório/AE
JF Diório/AE

Santos aumenta salário de André para evitar assédio

Multa rescisória do atacante, que marcou 26 gols este ano, é estipulada em 50 milhões de euros

SANCHES FILHO, Agência Estado

10 Junho 2010 | 19h09

A inesperada pressa do Santos em fazer um contrato mais longo e aumentar o salário de André ganhou uma explicação nesta quinta-feira. O clube já recebeu pelo menos três propostas, a maior é de 6 milhões de euros, pelo vice-artilheiro do time na temporada, com 26 gols em 36 jogos, e agora tenta não perder o garoto ou lucrar com a sua saída para o exterior, estipulando em 50 milhões de euros a multa rescisória.

André foi promovido para o profissional em fevereiro do ano passado e ganhava R$ 10 mil por mês até fazer jus ao reajuste de 50% ao completar 10 jogos como titular, durante o Campeonato Paulista deste ano, conforme cláusula contratual. O Dínamo de Kiev já demonstrou interesse no atleta, assim como um clube da Itália e outro da Alemanha, cujos nomes não foram revelados, interessados na sua contratação.

O que mais preocupa os dirigentes é que o Santos poderá perder André e receber apenas pouco mais de R$ 2 milhões numa negociação para o exterior. O clube tem apenas 35% dos direitos econômicos do jogador, enquanto a Cabofriense detém 40% e o Grupo Sonda 25%.

Mais conteúdo sobre:
futebolSantosAndréaumento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.