Maurício de Souza
Maurício de Souza

Santos ganha na volta de Dorival Jr. e dorme fora da zona da degola

Equipe faz 3 a 0 no Figueirense, na Vila Belmiro, e sobe para 15ª

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

11 de julho de 2015 | 20h41

A reestreia de Dorival Júnior no Santos não poderia ter sido melhor. Com uma boa atuação, vitória com placar dilatado e a esperança de dias melhores, o alvinegro voltou a sorrir, derrotou o Figueirense por 3 a 0, neste sábado à noite, na Vila Belmiro, acabou com a seca de vitórias - que durava quatro jogos - e saiu, pelo menos por um dia, da zona de rebaixamento do Brasileirão. Mais do que isso, conseguiu ganhar um novo ânimo para o clássico com o Palmeiras, domingo que vem.

Com o resultado, o segundo positivo do Santos em casa no Brasileiro, o time alvinegro chegou aos 13 pontos, alcançou a 15ª posição e agora torce contra o Avaí (que joga em casa com a Chapecoense) e Inter (que visita o Joinville). Se as duas equipes pontuarem, o Santos volta para a zona de rebaixamento. Já o Figueirense estacionou nos 15 pontos e é o 11º colocado.

Pressionado por estar na área de risco da tabela e com protesto da torcida, o Santos começou com boa movimentação. Lucas Lima e Gabriel ditavam o ritmo da partida e exploraram bastante as jogadas pelo meio da defesa do time catarinense, setor que parecia mais desguarnecido. Entretanto, a equipe do Figueirense tem a cara de seu treinador, Argel Fucks, e o ponto forte da equipe é a marcação.

Os volantes Paulo Roberto e Fabinho auxiliavam na marcação dos laterais e com o passar do tempo, conseguiram também dar conta de parar Lucas Lima, o que dificultou bastante as jogadas do time da casa. A partida parecia bem equilibrada, com as duas equipes se estudando taticamente e poucas chances de gol, até que o Santos se aproveitou da bola parada para abrir o placar.

Aos 31, Lucas Lima cobrou escanteio cheio de curva, Gabriel apareceu por trás da marcação e desviou a bola na trave. No rebote, David Braz encheu o pé e abriu o placar. Com a vantagem no marcador, o Santos passou a adotar a mesma tática que o adversário fazia antes. Recuou, se organizou taticamente e esperou pelo Figueirense, que pouco ameaçou o goleiro Vanderlei na primeira etapa.

Na etapa final, Argel colocou Ricardinho, que era titular e estava sendo poupado, no lugar de Yago, para dar maior movimentação ao time, mas nem deu tempo dele tocar na bola.

Logo aos 22 segundos, Lucas Lima lançou Ricardo Oliveira, que entrou na área e cruzou para Gabriel. A zaga cortou e no rebote, Lucas Lima pegou de primeira e marcou um belo gol, o primeiro dele no Campeonato Brasileiro.

Com o gol, o Figueirense parecia ter entregado os pontos. A marcação afrouxou e o contra-ataque deixou de existir. Ao contrário do Santos, que aproveitou para lavar a alma, fazer as pazes com a vitória, a torcida e voltar a sorrir.

Aos 17, Victor Ferraz driblou Marcos Pedroso e cruzou rasteiro para Gabriel, livre, desviar do goleiro Felipe e marcar o terceiro gol. O Figueirense, continuou só olhando e tentando parar o adversário com faltas duras. O Santos só não transformou a vitória em uma goleada porque Dorival Júnior resolveu aproveitar para fazer testes.

SEM DIFICULDADES

Tirou Gabriel e Thiago Maia e colocou Marquinhos Gabriel e Lucas Otávio, respectivamente. Até o zagueiro Leonardo aproveitou para fazer sua estreia. Como chegou na sexta-feira, o treinador quase não teve tempo para conhecer o elenco, por isso, aproveitou a facilidade da partida para transformar o confronto em uma espécie de amistoso de luxo.

O Figueirense até teve uma boa oportunidade de descontar, mas Marcão cabeceou mandou por cima do gol aos 29 do segundo tempo, no primeiro ataque de perigo do time catarinense do jogo.

Nos minutos finais, o time catarinense ainda esboçou uma certa vontade e, na ânsia de tentar marcar pelo menos um gol, deixou muito espaço na marcação e o Santos, ainda no ritmo de amistoso, chegava ao ataque com enorme facilidade, mas tamanha diferença técnica não se resultou em mais gols.

E assim, o Santos conseguiu uma boa vitória que dá maior confiança para se preparar visando o clássico com o Palmeiras, no Allianz Parque.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 3 X 0 FIGUEIRENSE

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, Werley, David Braz e Zeca; Paulo Ricardo (Leonardo), Thiago Maia (Lucas Otávio) e Lucas Lima; Geuvânio, Ricardo Oliveira e Gabriel (Marquinhos Gabriel). Técnico: Dorival Júnior.

FIGUEIRENSE - Felipe; Leandro Silva, Marquinhos, Bruno Alves e Cereceda (Marcos Pedroso); Paulo Roberto, Fabinho, Rafael Bastos e Yago (Ricardinho); Everaldo e Thiago Santana. Técnico: Argel Fucks.

GOLS - David Braz, aos 31 minutos do primeiro tempo; Lucas Lima, aos 22 segundos, e Gabriel, aos 17 minutos do segundo.

ÁRBITRO - André Luiz de Freitas Castro (GO).

CARTÕES AMARELOS - Yago, Cereceda, Paulo Ricardo, Rafael Bastos, Fabinho e Leandro Silva.

PÚBLICO - 8.393 pagantes.

RENDA - R$ 191.280,00.

LOCAL - Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.