Santos bate o Figueirense e conquista primeira vitória no Brasileirão

Com gols de Gabriel e Arouca, equipe faz 2 a 0 e sobe para a 11.ª posição na tabela

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

11 de maio de 2014 | 20h32

LONDRINA - O Santos conseguiu a primeira vitória no Campeonato Brasileiro contra o pior time do torneio, e sem Leandro Damião. Os 2 a 0 sobre o Figueirense apontam uma nova formação, com Lucas Lima na armação e a contratação mais cara do futebol brasileiro no banco de reservas. O Figueirense não fez nenhum gol em suas quatro derrotas. E a arbitragem teve influência no placar: o gol de Gabriel foi feito em impedimento.

Oswaldo de Oliveira adotou uma escalação ousada: deixou no banco Leandro Damião, a principal contratação da temporada. O técnico justificou a mudança dizendo que queria uma evolução técnica – não necessariamente tática – com o substituto Lucas Lima. Oswaldo atirou no que viu e acertou no que não viu. O time melhorou com a estrela no banco. Lucas Lima e Arouca se revezaram na armação; Thiago Ribeiro e Gabriel trocavam de posição constantemente na frente. Tudo isso foi exemplificado na primeira boa chance. Aos 15, Lucas Limas pecou na finalização e “matou” um contra-ataque muito bem feito.

O time conseguiu a evolução técnica que o técnico pretendia, mas esbarrou na recorrente falta de finalização. Aos 25 minutos, só havia chutado duas vezes ao gol catarinense. A lentidão era outro problema grave. O Santos não era nem sombra do time ligeiro e elétrico do Campeonato Paulista. Isso facilitava a retranca catarinense. Boa parte da culpa foi do péssimo gramado do Estádio do Café. Cada domínio era um parto porque a bola não rolava, ela quicava e batia na canela.

Nesse contexto, o Santos começou a cruzar bolas na área numa tentativa de se adaptar ao piso. Quase deu certo em uma jogada meio esquisita entre Gabriel e o goleiro Tiago. Aos 44, funcionou. Emerson cruzou e Gabriel – em impedimento – abriu o placar de cabeça.

O Figueirense, pior time do Brasileirão, atuou como nas suas três derrotas anteriores, nas quais não havia anotado nenhum gol. Armou uma estratégia para se defender, mas sem muito ímpeto para o contragolpe. Até os 20 minutos do segundo tempo, só havia dado um chute a gol. Em um dos poucos avanços do lateral Artur, o time pediu pênalti na trombada de Gabriel. Lance duvidoso.

Diante de um rival tão frágil, o Santos não precisou ampliar ao máximo seu repertório. Em um lance individual, Arouca deu um drible de corpo no zagueiro e chutou rasteiro para garantir a vitória aos 16. Na comemoração, um abraço na comissão técnica para mostrar que o gol tinha saído dos treinos.

A primeira vitória santista se tornou ainda mais concreta quando Raul deu um tranco sem bola em Gabriel e foi expulso na metade da etapa final. Oswaldo de Oliveira fez três alterações, duas na parte ofensiva, mas nem assim colocou Leandro Damião em campo.

FICHA TÉCNICA:

FIGUEIRENSE 0 X 2 SANTOS

FIGUEIRENSE - Tiago Volpi; Artur (Leandro Silva), Marquinhos, Raul e Lazaroni; Nem, Luan e Marco Antônio (Rivaldo); Dudu, Everton Santos (Vítor Júnior) e Ricardo Bueno. Técnico - Guto Ferreira.

SANTOS - Aranha; Cicinho, Jubal, David Braz e Emerson (Zé Carlos); Alison (Leandrinho), Arouca, Cícero e Lucas Lima (Geuvânio); Gabriel e Thiago Ribeiro. Técnico - Oswaldo de Oliveira.

GOLS - Gabriel, aos 43 minutos do primeiro tempo; Arouca, aos 16 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Francisco Carlos do Nascimento (Fifa/AL)

CARTÃO AMARELO - Nem (Figueirense).

CARTÕES VERMELHOS - Raul (Figueirense) e Cicinho (Santos).

RENDA - R$ 258,885,00.

PÚBLICO - 7.806 pagantes.

LOCAL - Estádio do Café, em Londrina (PR).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantosFigueirenseBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.