Maurício de Souza
Maurício de Souza

Santos bate o Vasco na Vila Belmiro e se afasta ainda mais do Z-4

Paulistas afundam cariocas na lanterna com vitória por 1 a 0

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

12 Agosto 2015 | 23h08

Os jogadores do Santos saíram do gramado da Vila Belmiro na noite desta quarta-feira celebrando a vitória por 1 a 0 sobre o Vasco, mas lamentando a quantidade de chances desperdiçadas. Foram pelo menos cinco chances reais, principalmente no primeiro tempo. Com o gol de falta de Victor Ferraz, a equipe acumula quatro vitórias nos últimos seis jogos (empatou uma e perdeu a outra) e se afasta bastante da zona de rebaixamento.

O Vasco, por sua vez, cai para a lanterna com a pior campanha do Campeonato Brasileiro. O artilheiro Ricardo Oliveira não teve uma noite inspirada. Perdeu um pênalti, depois de ter desperdiçado  duas chances claras na etapa inicial. 

Antes mesmo que os times se estudassem taticamente, o Santos já estava criando – e perdendo – chances. Com quarenta segundos, já haviam sido duas oportunidades, uma com Ricardo Oliveira e outra. Essa toada do primeiro minuto foi o resumo de todo o primeiro tempo. Foram pelo menos quatro chances claras desperdiçadas, a maioria delas pelo atacante Ricardo Oliveira, artilheiro do Campeonato Brasileiro. Embora o goleiro do Vasco, Martin Silva, tenha tido seus méritos, fechando o ângulo e fazendo boas defesas, o goleador santista não mostrou a tranquilidade dos outros jogos.

Com velocidade e ótima movimentação, o Santos criava uma chance atrás da outra. O principal mérito foi variar as jogadas ofensivas. Pela esquerda, Lucas Lima e Gabriel encostava em Victor Ferraz. Pela direita, a dobradinha era feita por Geuvânio e Zeca.

O Vasco foi à Vila Belmiro para arrancar pelo menos um empate. Para tentar proteger a pior defesa do torneio, o técnico Celso Roth deixou apenas um atacante (Riascos) isolado na frente e escalou cinco jogadores no meio. Roth queria dar mais consistência e tirar a velocidade do jogo santista. Não nem uma coisa nem outra. A equipe carioca só se defendeu e só teve uma boa chance em uma arrancada solitária de Riascos. Só no primeiro tempo foram 14 finalizações contra duas do Vasco.

Essa diferença de volume de jogo virou vantagem do Santos no placar logo aos 3 da etapa final. E, ironicamente, foi um gol de falta. Victor Ferraz foi perfeito na cobrança, mas contou com colaboração do goleiro rival, que demorou um instante a pular. O Santos não fazia um gol de falta desde janeiro de 2014, quando Cícero, hoje no Fluminense, marcou contra o Ituano.

Diferença mínima e perigosa. A avalanche de chances da etapa inicial simplesmente desapareceu. As alterações feitas por Dorival Junior para manter a força da marcação e a velocidade acabaram prejudicando o entrosamento. Nem a estreia de Leandro, ex-palmeirense que chegou por empréstimo até o final do ano e substituiu o esforçado Geuvânio, deu gás novo ao time.

Aos 36, Ricardo Oliveira assinou o recibo de que a noite não era mesmo sua. Ele desperdiçou o pênalti de Guiñazu em Lucas Lima. Hesitou na cobrança, Martin Silva foi esperto e defendeu. No lance, o volante Guiñazu foi expulso, mas nem assim o Santos recuperou o ritmo forte inicial. Mereceu a vitória apenas por aquilo que fez na etapa inicial.

Ficha técnica

Santos 1 x 0 Vasco

Santos - Vladimir; Victor Ferraz (Daniel Guedes), Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Gabriel (Marquinhos Gabriel), Geuvânio (Leandro) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Junior

Vasco - Martin Silva; Madson, Jomar, Rodrigo e Christianno; Guiñazu, Serginho, Julio dos Santos (Herrera), Julio César (Rafael Silva) e Jhon Cley; Riascos (Thalles). Técnico: Celso Roth

Gols - Victor Ferraz, aos 3 minutos do segundo tempo

Cartões Amarelos - Guiñazu, Rafael Silva, Gabriel e Ricardo Oliveira

Cartões Vermelhos - Guiñazu

Árbitro - Ederson Luiz Sobral (PE)

Local - Vila Belmiro, em Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.