Santos bate Palmeiras no Palestra e vai à final

O Santos não se intimidou por jogar no Palestra Itália neste sábado e venceu o Palmeiras por 2 a 1, confirmando sua classificação à final do Campeonato Paulista. Tendo vencido o primeiro jogo na Vila Belmiro pelo mesmo placar, a equipe santista fez um gol logo no início e depois contou com um pênalti na segunda etapa para segurar os palmeirenses em seu estádio. Agora, espera o vencedor do confronto entre São Paulo e Corinthians, que jogam neste domingo, no Morumbi - o time corintiano venceu a primeira por 2 a 1, no Pacaembu.

RAFAEL BRAGANÇA, Agencia Estado

18 de abril de 2009 | 20h37

Para vencer o Palmeiras fora de casa, o Santos manteve a calma durante todo o jogo e não foi pressionando em nenhum momento. Mesmo com os ânimos exaltados no fim da partida, que culminaram com as expulsões de Diego Souza e Domingos, o time visitante continuava levando perigo nos contra-ataques rápidos. Madson, além de abrir o placar, liderou a equipe da Baixada. O gol palmeirense só saiu em uma falha incrível de Fábio Costa, que não segurou o chute de Pierre.

Pelo lado dos anfitriões, ficou a lamentação por fazer a melhor campanha da fase de classificação e cair logo nas semifinais. Principalmente no segundo tempo, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo esteve nervoso em campo e não teve forças para buscar a virada. No início da etapa final, o pênalti cometido por Maurício Ramos, que acabou sendo expulso, freou o ímpeto dos palmeirenses.

O JOGO - Mesmo com a torcida palmeirense lotando o Palestra Itália, o Santos não se intimidou no começou do jogo e pressionou o Palmeiras. Abusando da velocidade, o time santista não chegava a ser perigoso, mas também não permitia que a equipe palmeirense buscasse o gol que precisava para a classificação. O primeiro lance de gol do jogo acabou sendo mesmo do Palmeiras, aos 12 minutos.

No momento em que os anfitriões equilibravam a partida, Diego Souza recebeu lançamento na área e tentou o chute, mas a zaga santista conseguiu desviar. Três minutos depois, o Palmeiras teve outra boa chance. Evandro cobrou falta lateral e jogou na área. Após um leve desvio da defesa na primeira trave, a bola bateu no peito do zagueiro Danilo e ia para o gol. Fábio Costa apareceu bem e manteve o zero no placar.

Com o Palmeiras ficando mais com a bola, o Santos tinha facilidade para aplicar seu jogo em velocidade e sair em contra-ataques. Foi desta maneira que saiu o primeiro gol santista. Aos 17 minutos, Fábio Costa chutou forte para a frente, Neymar conseguiu ficar com a bola e já fez o passe para Madson. Na corrida, o meia ganhou da defesa palmeirense. Na saída de Marcos, ele apenas desviou de leve para mandar às redes.

Atrás no placar, o Palmeiras até levou perigo em chute de Fabinho Capixaba, mas quase tomou o segundo na sequência. Após cruzamento de Luizinho, Kléber Pereira cabeceou para fora. Já aos 24, Danilo por pouco não marca contra. O zagueiro se enrolou com Marcos pela bola e depois quis mandar para a linha de fundo de calcanhar. No entanto, errou e mandou na própria trave. Na sequência, Neymar chutou para fora.

No restante do primeiro tempo, o Palmeiras melhorou e chegou a dominar o jogo. Mesmo assim, ainda tinha muita dificuldade para criar chances de gol. Apenas Diego Souza tinha uma boa atuação, enquanto Keirrison seguia isolado no ataque e apagado no jogo. Já para a segunda etapa da partida, o técnico Vanderlei Luxemburgo decidiu mexer na equipe e voltou logo com duas modificações. Ortigoza entrou no lugar de Lenny e Deyvid Sacconi na vaga de Jumar.

O Palmeiras precisava buscar de qualquer forma um gol para iniciar uma possível reação, mas foi o Santos que voltou a marcar. Logo aos cinco minutos, o zagueiro Maurício Ramos cometeu um pênalti infantil em Neymar. O defensor tentou deixar o atacante santista em impedimento e acabou saindo atrasado. Neymar, que tinha recebido passe de Paulo Henrique, ia se aproximando de Marcos quando Maurício o empurrou pelas costas. Além da penalidade, o zagueiro levou o segundo amarelo e foi expulso.

Kléber Pereira cobrou o pênalti no canto direito de Marcos e fez 2 a 0 Santos. Agora, o Palmeiras precisaria marcar três gols para se classificar. Já o time do técnico Vágner Mancini podia apenas administrar a vantagem. Logo após o gol dos visitantes, Luxemburgo queimou sua última alteração: colocou Marcão no lugar de Evandro, reforçando o sistema defensivo. Seu time realmente melhorou atrás, mas não tinha forças para buscar a virada no ataque.

Fazendo um segundo tempo muito ruim, o Palmeiras só chegou ao gol graças à uma falha feia de Fábio Costa. Aos 29 minutos, Pierre chutou de longe e o goleiro santista engoliu um frango, deixando a bola passar por entre as pernas. O gol acordou o Palmeiras, mas uma confusão logo depois e a expulsão de Diego Souza jogaram um balde de água fria nas esperanças palmeirenses.

Domingos, que tinha acabado de entrar no lugar de Neymar, discutiu com Diego Souza e o árbitro Salvio Spinola Fagundes Filho decidiu expulsar os dois jogadores. O meia tentou conversar com o zagueiro santista, que simulou uma agressão e caiu no chão. Diego Souza então se descontrolou e a confusão foi armada, com o palmeirense tentando chegar perto de Domingos. Quando os jogadores do Palmeiras finalmente conseguiram tirar o meia de campo, ele voltou e deu um safanão em Domingos.

Depois da confusão, pouco aconteceu no Palestra que mudaria os rumos da partida. Desencontrado, o Palmeiras tomava sufoco quando o Santos atacava e não conseguia se organizar para buscar a reação. Atacando em contra-ataques, o Santos não permitiu a pressão do Palmeiras e confirmou a classificação à final do Campeonato Paulista.

Ficha Técnica:

Palmeiras 1 x 2 Santos

Palmeiras - Marcos; Fabinho Capixaba, Danilo, Maurício Ramos e Armero; Pierre, Jumar (Deyvid Sacconi), Evandro (Marcão) e Diego Souza; Lenny (Ortigoza) e Keirrison. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Santos - Fábio Costa; Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Triguinho; Roberto Brum (Pará), Germano, Paulo Henrique Lima e Madson; Neymar (Domingos) e Kléber Pereira (Roni). Técnico: Vagner Mancini.

Gols - Madson, aos 17 minutos do primeiro tempo; Kléber Pereira (de pênalti), aos 6, e Pierre, aos 29 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Salvio Spinola Fagundes Filho.

Cartões amarelos - Diego Souza e Marcão (Palmeiras); Neymar, Madson, Fabão, Germano e Roberto Brum (Santos).

Cartões vermelhos - Maurício Ramos e Diego Souza (Palmeiras); Domingos (Santos).

Renda - R$ 1.071.800,00.

Público - 26.420 pagantes (26.447 no total).

Local - Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.