Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Santos bate Palmeiras pela 1ª vez no Allianz Parque e continua em 2º

Alvinegro diminui distância para o Corinthians na tabela com vitória por 1 a 0 na arena alviverde

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2017 | 21h01

Depois de tanto fazerem jogos decisivos nos últimos anos, Palmeiras e Santos se enfrentaram neste sábado e tiveram um resultado inédito. Pela primeira vez na história a equipe da Vila Belmiro ganhou no Allianz Parque, e logo em uma ocasião bastante importante. A vitória por 1 a 0 pelo Campeonato Brasileiro mantém o time na perseguição ao líder, Corinthians, e prejudica bastante a ambição do rival derrotado.

O confronto direto valia o segundo lugar na tabela e a chance de se manter na perseguição ao Corinthians. O clima decisivo pareceu ter contaminado negativamente o Palmeiras, que a exemplo de outras ocasiões importantes na temporada, ficou nervoso, atrapalhado e ruiu diante de um adversário mais tranquilo e confiante.

O gramado plantado na véspera, após a arena ter recebido shows, foi testado sem dó. A chuva forte causou poças d'água no campo e obrigou funcionários do estádio a perfurarem o piso com rastelo para tentar melhorar a drenagem. Pouco efetiva, a ação precisou ser interrompida minutos antes da partida. Uma queda de luz atrasou o começo do jogo em dois minutos.

As conturbadas condições prévias deixaram os times mais atentos. Palmeiras e Santos iniciaram a partida em ritmo acelerado, espertos o bastante para alterar o estilo de atuar. A bola era conduzida mais pelo alto e as divididas se tornaram inevitáveis. Se o jogo já era um confronto direto entre dois rivais, passou a ser um combate por espaço, pois fazer a bola rolar era muito difícil.

No primeiro tempo os dois times tiveram dificuldades para criar. O Palmeiras rondava a área de Vanderlei e chutava errado ao gol. O Santos respondia com mais perigo, em jogadas velozes, e quase abriu o placar no último lance antes do intervalo. Prass salvou com o pé direito o chute de Ricardo Oliveira.

+ TEMPO REAL - Confira os lances da partida

+ Ricardo Oliveira nega sabor de revanche por gol contra o Palmeiras

+ WTorre culpa chuva forte por poças no gramado do Allianz Parque

+ Jogadores do Palmeiras lamentam fracasso do ataque

A equipe da casa tentou recuperar o protagonismo na etapa final. O Palmeiras se manteve no campo de ataque, mas não criava com tanto perigo. O Santos conseguiu aguentar o momento mais crítico, até conseguir uma brecha. No primeiro contra-ataque perigoso na segunda etapa, Bruno Henrique cruzou para Ricardo Oliveira concluir de cabeça, aos 30 minutos do segundo tempo.

A desvantagem abriu o desespero do Palmeiras de ir em busca do empate a qualquer custo. A equipe ficou afobada e viu o adversário, mesmo desfalcado, conseguir se controlar. O Santos administrou até o fim, inclusive quando Prass foi para área. Depois de cinco jogos sem ganhar na arena rival, o time finalmente conquistou o resultado inédito em uma hora decisiva.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 0 x 1 SANTOS

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Luan, Juninho e Zé Roberto (Thiago Santos); Jean (Guerra), Tchê Tchê e Moisés; Willian (Borja), Dudu e Deyverson. Técnico: Cuca

SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Matheus Jesus e Jean Mota (Serginho); Bruno Henrique, Copete e Ricardo Oliveira (Kayke). Técnico: Levir Culpi.

Gol: Ricardo Oliveira, aos 30 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza

Público: 37.527.

Renda: R$ 2.760.716,34.

Amarelos: Luan, Matheus Jesus, Jean Mota, Zeca, Alison, Bruno Henrique, Fernando Prass.

Local: Allianz Parque, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.