Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Santos bate Santo André por 3 a 2 e fica perto da taça

Time santista ganha no Pacaembu e agora poderá perder por até um gol na volta para levar o Paulistão

ANDRÉ RIGUE, estadão.com.br

25 de abril de 2010 | 18h02

O Santos levou um susto neste domingo, mas conseguiu derrotar o Santo André por 3 a 2, no estádio do Pacaembu, no primeiro duelo das finais do Campeonato Paulista. Para levar a taça, o time do técnico Dorival Júnior agora poderá até se dar ao luxo de perder o confronto de volta, no mesmo Pacaembu, no próximo domingo, por até um gol de diferença. Bruno César e Rodriguinho fizeram para equipe do ABC. Wesley (dois) e André marcaram para a equipe da Vila Belmiro.

Veja também:

Ouça os gols na Eldorado/ESPN - Santo André 1x0 | 1x1 | 1x2 | 1x3 | 2x3

Blog Bate-Pronto: forumSantos já pode vestir a faixa de campeão?

Considerado o time com o melhor futebol do Brasil, o Santos entrou como grande favorito. Com um ataque fulminante formado por jovens, que marcou gols em todos os jogos no ano (95 na temporada), o time alvinegro da Vila Belmiro só não teve o atacante André desde o início por opção do técnico Dorival Júnior, aniversariante do dia, que preferiu utilizar Wesley no meio-campo.

O esquema de Dorival teve problemas, e o Santo André se saiu melhor na etapa inicial. Neymar sofreu uma pancada no tornozelo logo aos 5 minutos em disputa de bola e teve sua atuação comprometida. Em sua melhor jogada, o atacante caiu na área aos 29 minutos em disputa com Toninho, e reclamou pênalti, não marcado por Paulo César.

No intervalo, Neymar sentindo um incomodo no olho direito (atingido por ele mesmo) foi substituído por André. "Não estava vendo nada, então foi melhor sair mesmo. Mas está tudo bem", disse o jovem atacante, que acompanhou o segundo tempo da arquibancada.

Pelo lado do Santo André, o técnico Sérgio Soares fez com que os jogadores ofensivos participassem da marcação. O meio ficou tumultuado e todo favorável ao time do ABC na etapa inicial. O gol, porém, só surgiu através da bola parada, aos 34 minutos. Edu Dracena fez falta em Nunes. Bruno César bateu no canto esquerdo e estufou as redes.

Após o gol, o Santo André criou mais chances para ampliar. Aos 42 minutos, Nunes recebeu com liberdade. O chute, porém, foi para fora, para alívio dos santistas. “Para quem disse que nós jogaríamos recuados, a gente mostrou o contrário no primeiro tempo”, afirmou Nunes.

FUTEBOL SHOW

Dorival teve de mudar na etapa final. Neymar saiu, e André retornou ao time. A entrada do artilheiro deu outra cara para o Santos, que voltou a apresentar seu tradicional futebol alegre e ofensivo. Apesar do empenho tático, o Santo André não conseguiu resistir.

Aos 13 minutos, André aproveitou cruzamento de Ganso e cabeceou para o fundo das redes para deixar tudo igual. Foi o 13.º gol do atacante no Paulistão - é o artilheiro da equipe. “Ficamos com a referência na área com a entrada do André. Ele mudou o jogo”, afirmou Robinho.

O Santo André desmontou após o empate e viu o Santos deitar e rolar. A virada chegou aos 17 minutos. Robinho, cujo salário é quase o dobro da folha total do time do ABC, fez lançamengo para Wesley. O jogador recebeu, levou pela direita, invadiu a área e chutou cruzado, no canto de Júlio César.

Wesley também fez o terceiro do Santos, aos 24 minutos. Novamente pela direita, o meia bateu cruzado - desta vez, a bola desviou antes de entrar.

O Santos teve tudo para ampliar, ao ficar com um homem a mais - Toninho foi expulso. O clube, porém, bobeou na marcação e ofereceu ao Santo André o segundo gol. Aos 37 minutos, Rômulo fez grande jogada pela esquerda. Gil aproveitou o cruzamento e mandou na trave direita. Rodriguinho pegou o rebote e tocou para as redes.

Apesar do gol andreense e de ainda haver o jogo de volta, a torcida santista saiu animada e empolgada - afinal, o time ainda não perdeu por dois gols de diferença na temporada. “Vamos tentar fazer isso. Precisamos ganhar por dois gols no próximo domingo. O Santo André tem qualidade”, afirmou Bruno César.

SANTO ANDRÉ 2 X 3 SANTOS

SANTO ANDRÉ - Júlio César; Cicinho, Cesinha, Toninho e Rômulo; Alê, Gil, Branquinho (Pio) e Bruno César; Rodriguinho e Nunes (Halisson). Técnico: Sérgio Soares.

SANTOS - Felipe; Pará (Madson), Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Wesley, Marquinhos e Paulo Henrique Lima (Zé Eduardo); Neymar (André) e Robinho. Técnico: Dorival Júnior.

GOLS - Bruno César, aos 34 minutos do primeiro tempo; André, aos 13, Wesley, aos 17 e aos 24, e Rodriguinho, aos 37 minutos do segundo tempo.

AMARELOS - Rômulo; Toninho; Wesley

VERMELHOS - Toninho

PÚBLICO E RENDA - 33.354 (total); R$ 1.770.150,00

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo

ÁRBITRO - Paulo César de Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.