Santos busca liderança em Guayaquil

O Santos enfrenta às 22 horas desta quarta-feira o equatoriano Barcelona, em Guayaquil, Equador. A partida vale a liderança do Grupo 7 da Libertadores, pois os times estão com os mesmos quatro pontos ganhos e o time da casa leva vantagem no saldo de gols. Como é a competição mais importante do semestre, o técnico Emerson Leão recomendou aos seus jogadores um maior cuidado na marcação no meio-de-campo, além de usar bem a velocidade de Basílio, que entra no lugar de Robgol para surpreender o adversário em contra-ataques. Leão quer, na verdade, que seu time volte a jogar o mesmo futebol do ano passado, em que havia um cuidado especial na marcação, sem comprometer a eficiência do ataque. "Vamos tentar fechar mais o meio-de-campo, não deixando a defesa tão aberta como no último jogo", disse o volante Renato, que comandará esse trabalho na partida desta quarta-feira. Ele terá liberdade de ajudar o ataque, mas Claiton deverá ficar mais fixo na posição, não descuidando da marcação. Os laterais Paulo César e Léo terão de se revezar no apoio aos atacantes e a ordem é nunca os dois atacarem ao mesmo tempo. Se vai haver um cuidado especial na marcação, o ataque será alterado: o time jogará sem um centroavante típico, pois Robgol cedeu o lugar para Basílio. "Vamos buscar os gols nas saídas rápidas do Basílio e do Robinho e na chegada de Elano para surpreender o adversário", disse Renato, lembrando que no ano passado a equipe passou a atuar sem um centroavante quando Ricardo Oliveira deixou a Vila Belmiro. "Já jogamos sem um finalizador ali na área, mas o Fabiano fazia a sua função e os gols saíam", continuou, pregando que o sucesso depende de uma ampla movimentação no setor. Os jogadores procuraram se adaptar esta semana ao novo esquema. Diego comentou que as mudanças ocorreram depois da goleada por 4 a 0 imposta pelo Paulista de Jundiaí, pelo Paulista. "A maioria dos gols saíram em contra-ataques e agora, com o respaldo maior do Claiton e com a permanência de um dos laterais, nossa responsabilidade de marcar diminui um pouco, mas temos de ajudar também nesse setor." Os jogadores do Santos chegaram à final da Libertadores no ano passado e perderam o título para o Boca Juniores.Essa derrota aumentou a vontade dos jogadores em conquistar esse torneio e isso influiu para que muitos deles permanecessem na Vila Belmiro pelo menos no primeiro semestre. Se Alex já está contando os meses que falta para jogar no PSV Endhoven, da Holanda, jogadores como Diego e Robinho preferem não pensar nisso no momento, concentrando todas suas energias na disputa da Libertadores. Diego acha que não é momento de sair e que pretende ganhar mais experiência no Santos antes de se transferir para o futebol europeu. Robinho mantém o mesmo discurso. "Tenho contrato no Santos, que é minha casa, e estou muito feliz aqui." Comentários à parte, há sempre a possibilidade de serem negociados no segundo semestre, depois do término da Libertadores. Mesmo diante dessa possibilidade, o atacante só pensa no jogo desta quarta contra o Barcelona. "Sabemos que não vai ser fácil, mas estamos preparados para sair com um bom resultado", afirmou Robinho. E esse bom resultado nem precisa ser a vitória. "Jogamos sempre para vencer, essa é a nossa característica, mas dependendo do andamento do jogo, um empate pode ser considerado bom", continuou Robinho, que não promete pedaladas nessa partida. "O principal objetivo é a vitória e, se der, quero também fazer meus gols." Para Robinho, o ataque ganha velocidade com Basílio. "Não teremos um companheiro com essas características, mas vamos ganhar no toque de bola. Temos de procurar nos movimentar ao máximo e, mesmo não sendo altos, nós já marcamos gols de cabeça."

Agencia Estado,

02 de março de 2004 | 18h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.