Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Santos cede 10% e Diego fica na Vila

Agora é definitivo: Diego não vai mais jogar no Tottenham da Inglaterra. No começo da noite, o presidente Marcelo Teixeira convocou os jornalistas para dar a notícia revelando que as negociações estavam definitivamente encerradas. "Foi um final feliz para os dois lados", disse ele ao anunciar que houve um acordo com o pai, e procurador do jogador, Dejair Cunha. O meia teve o seu contrato prorrogado por mais seis meses, até julho de 2005, além de ganhar mais 10% dos direitos federativos. Agora, 50% pertencem ao pai do craque. "O Diego sempre pensou em permanecer no Santos, pensando no lado profissional, mas eu tinha que pensar nos aspectos comerciais", disse Cunha.Ele era o maior interessado na venda do jogador, pois receberia 40% do valor estipulado, e Diego teria um contrato de cinco anos com o Tottenham, em que ganharia US$ 8 milhões. Quando o meia completasse 23 anos estaria livre para negociar sua transferência para qualquer clube, recebendo sozinho os valores propostos.Com a convocação à seleção brasileira, o Santos espera que o jogador se valorize ainda mais e desponte como uma das maiores estrelas do futebol brasileiro. O contrato de Diego venceria no dia 28 de fevereiro de 2005, quando o jogador teria a totalidade de seus direitos federativos. Com a prorrogação acertada nesta terça-feira, o clube terá melhor oportunidade de negociá-lo, uma vez que as contratações pelo futebol europeu ocorrem em julho.Teto - Diego não aceitou aumento de salário, e o presidente Marcelo Teixeira elogiou o comportamento do atleta, que já ganha o teto pago pelo clube. "Não adiantava um aumento de salário agora, eu sei que ele(o aumento) vai vir mais para frente", disse ele, reafirmando a sua disposição de permanecer no Santos até o final do contrato. "Sempre disse isso e essa era a minha intenção, embora a minha transferência não estivesse em minhas mãos".Ele comentou que seu pai e o clube decidiram pelo encerramento das negociações e que isso o deixava satisfeito. "Uma transferência para a Europa é complicada e ainda não me considerava preparado para essa mudança; ela sairá no momento certo".Dividido - Diego passou a semana dividido entre permanecer no Santos e se transferir para o Tottenham da Inglaterra, mas nesta terça-feira à tarde, ele demonstrou alívio pelo encerramento das negociações e recebeu a notícia de mais uma convocação para a Seleção. Depois do treino, ele comentou que é um sonho que está se realizando mais uma vez. "Esse era o meu objetivo", disse. Ele acredita - e tem toda razão - que atuando bem pela Seleção poderá ter seu passe ainda mais valorizado. "Contava com essas convocações e trabalhei muito para isso, e acho que vai valorizar um pouco."

Agencia Estado,

26 de agosto de 2003 | 19h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.