Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Santos cita caso do River e pede que Sánchez cumpra suspensão no jogo de volta

Bruno Zuculini atuou de forma irregular em todas as sete partidas do clube argentino nesta Libertadores, graças a uma punição sofrida ainda em 2013

Estadão Conteúdo

24 Agosto 2018 | 14h46

O Santos divulgou nesta sexta-feira um ofício enviado à Conmebol sobre o caso do volante Carlos Sánchez. Na data limite para o envio de sua defesa à entidade sul-americana, após a abertura de um expediente disciplinar pela mesma, o clube pediu que o jogador cumpra o suposto jogo restante de suspensão no confronto de volta diante do Independiente pelas oitavas de final da Libertadores.

No documento, o Santos comparou seu caso ao vivido pelo River Plate com o volante Bruno Zuculini. O jogador atuou de forma irregular em todas as sete partidas do clube argentino nesta Libertadores, graças a uma punição sofrida ainda em 2013, quando atuava pelo Racing, da qual sobravam dois jogos restantes a serem cumpridos no torneio deste ano.

Sem saber a situação de seu jogador, o River consultou a Conmebol e ouviu que Zuculini estava apto a jogar. A entidade alegou "erro administrativo", liberou o clube argentino de qualquer punição e ordenou que o atleta cumpra as partidas restantes na sequência do torneio. E é exatamente este tratamento que o Santos espera da confederação em seu caso.

"Isto porque tanto River Plate quanto o Santos são terceiros de boa-fé nesta cadeia de informações e sistemas que, de forma bastante clara, pode e deve ter sido afetada por erro de avaliação, por um erro de alimentação de informações por funcionário, ou até mesmo um erro tecnológico bastante comum nos dias atuais", argumentou o clube paulista.

Ainda de acordo com o ofício, o Santos não pode ser punido pela Conmebol após a absolvição do River "justamente porque, se ocorreram erros em ambos os casos, eles não foram originados pelos clubes".

Apesar da comparação com o caso de Zuculini, o clube brasileiro manteve a opinião de que escalou Sánchez de forma regular no empate por 0 a 0 do jogo de ida das oitavas, na última terça-feira em Avellaneda. O departamento jurídico voltou a alegar que o sistema eletrônico da Conmebol, bem como as informações passadas pela Fifa e pelo Monterrey, time anterior do volante, davam conta de que o jogador poderia estar em campo.

Mas, diante da possibilidade de entendimento da Conmebol de que Sánchez pode ter atuado de maneira irregular, o Santos pediu o mesmo tratamento dado ao River, "determinando que o atleta cumpra a suposta suspensão de uma partida que possa ter pendente no próximo jogo, a ser realizado dia 28 de agosto de 2018 no Brasil, diante do próprio Club Atlético Independiente".

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.