Divulgação
Divulgação

Santos cogita pedir liberação de Gabriel da seleção sub-17

Atleta pode perder partidas contra Atlético-PR, Góias e Internacional

SANCHES FILHO, Agência Estado

26 de agosto de 2013 | 21h04

SANTOS - O que foi problema constante para o Santos com Neymar volta a acontecer muito cedo com Gabriel. A promessa santista, de apenas 16 anos e que tenta se firmar como titular, tem de se apresentar à seleção brasileira sub-17 em 3 de setembro para um período de treinamentos que irá até o dia 8, em Itu, e vai desfalcar o time em três jogos. A seleção treinada por Alexandre Gallo se prepara visando o Mundial Sub-17 que será disputado nos Emirados Árabes, do dia 17 de outubro a 8 de novembro.

Nos seis dias em que Gabriel vai estar com a seleção Sub 17 em Itu, o Santos enfrentará o Atlético-PR (4/9, em Curitiba), Goiás (7/9, na Vila Belmiro) e Internacional (9/9, em Novo Hamburgo-RS). O jogo diante do Internacional é pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro e foi adiado em razão da viagem do Santos para realizar o amistoso contra o Barcelona, dia 2 de agosto, no Campo Nou, na Espanha.

O gerente de futebol, Zinho, já avisou que vai encaminhar à CBF pedido dispensa de Gabriel se o técnico Claudinei Oliveira julgar necessária a presença do jogador nos três jogos. Mas a ideia não foi bem recebida pelo jogador. "Isso (pedido de dispensa) é com o Santos, mas seleção é o nosso país. Estou muito feliz no Santos, mas também estou feliz com a convocação para a seleção e eu só quero jogar futebol."

Gabriel, que vai fazer 17 anos sexta-feira, tem um histórico de 13 convocações. Ele foi chamado pela primeira vez em 2010 para defender a seleção Sub-15. No profissional do Santos ele está apenas no começo e a sua estreia em jogos oficiais foi no empate por 0 a 0 contra o Flamengo, em Brasília, na primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O primeiro gol demorou a sair e foi marcado diante do Grêmio, na semana passada, na Vila Belmiro, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O segundo foi logo em seguida, graças ao técnico Claudinei que apostou no bom momento do garoto, ao escalá-lo desde o começo contra o Vitória. E não se arrependeu, porque Gabriel abriu o marcador aos 10 minutos do primeiro tempo, transformando em fácil um jogo que era tido como difícil.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCGabriel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.