Santos: condição física preocupa

O técnico Oswaldo de Oliveira continua preocupado com o estado físico de seus jogadores e vai aproveitar a folga no meio da semana para levar o elenco novamente a Atibaia. Com essa concentração alongada, ele pretende que o trabalho físico seja realizado na medida das necessidades, com cuidado especial na alimentação dos atletas. Mas quer também cuidar da parte técnica, principalmente da finalização a gol, deficiência que o time mostrou no empate de domingo contra a Portuguesa Santista."Quando não conseguimos fazer o segundo gol, comecei a ficar preocupado e, como nesta semana teremos um pouco mais de tempo para recuperar a equipe, a expectativa é que para o próximo jogo já tenhamos mais facilidade e precisão nas conclusões, pois no jogo contra a Santista nós pecamos nesse aspecto", disse ele. E atribui essa deficiência ao desgaste do time, que chegou a Santos na madrugada de sexta-feira, depois do jogo contra o Mogi e jogou no domingo.Até Robinho mereceu reparo do treinador ao desperdiçar a chance de desempatar a partida. "Se ele tivesse sido um pouco mais objetivo a gente poderia ter alcançado o gol. Ocorre que ele tentou ter a segurança máxima para não desperdiçar e acabou, por esse excesso de zelo, desperdiçando a chance que nos daria a vitória". Mas defendeu o atacante, estrela máxima de sua equipe. "É muito jovem, tem sido muito prestimoso para o Santos e, com certeza, vai considerar isso sempre nas próximas oportunidades, procurando ser mais objetivo na hora decisiva".Nesta segunda-feira, os jogadores folgaram e voltam aos treinamentos nesta terça pela manhã. Almoçam na Vila Belmiro e seguem para Atibaia, onde permanecem até sexta-feira. Para o jogo de sábado, contra o Atlético de Sorocaba, o técnico Oswaldo de Oliveira conta com a volta do lateral-esquerdo Léo e do atacante Basílio, que estão contundidos.Tcheco deverá ser o substituto de Elano, que acertou nesta segunda-feira sua transferência para o futebol ucraniano. Ele ainda não está em sua melhor forma física, entrou no segundo tempo nas duas últimas partidas e ainda está se adaptado ao novo time. Fábio Baiano não tem agüentado os 90 minutos da partida e isso acaba sendo um complicador a mais para o treinador, que é obrigado a fazer substituições por desgaste físico.

Agencia Estado,

01 de fevereiro de 2005 | 09h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.