Santos: Conselho aceita liberar Robinho

Agora é só uma questão de valor. O presidente do Conselho Deliberativo do Santos, José da Costa Teixeira, e alguns conselheiros importantes mostram-se favoráveis à transferência de Robinho para o Real Madrid. Costa Teixeira sugere inclusive que com o dinheiro seja construído um estádio multi-uso para que o clube passe a ter fonte de renda alternativa. Já o conselheiro Celso Leite sugere que a diretoria lute até fim para que o jogador só deixe a Vila Belmiro pelo valor da multa contratual (US$ 50 milhões). "A venda de Robinho pode significar a redenção financeira do Santos", avalia Leite.Por estratégia para que o Real aumente a sua proposta, que, segundo comentários, seria de US$ 22 milhões, ou para não se indispor com a torcida, o presidente santista, Marcelo Teixeira, continua afirmando quer só assinará a liberação de Robinho após Copa de 2006.Com a notícia divulgado pelo jornal "A Bola", de Portugal, na edição deste domingo, dando conta que o Arsenal, da Inglaterra, vai apresentar proposta oficial de 21 milhões de euros por Robinho e a informação de que o presidente do Real, Florentino Perez, estaria disposto a pagar qualquer importância para levar o camisa 7 santista pode transformar as negociações se transforme num leilão."Ele (Marcelo Teixeira) quer marcar a sua administração com o clube voltando a ter uma jogador titular da Seleção Brasileira numa Copa", confidencia o procurador de Robinho, Vágner Ribeiro. O último santista numa Copa foi o zagueiro-central Marinho Perez, em 1974, na Alemanha. A declaração de Robinho, na sexta-feira, na Alemanha, que não voltaria a vestir a camisa do Santos pesou na decisão de parte do Conselho. Há o temor que se Teixeira se mantiver irredutível, Robinho possa conseguir sua liberação na Fifa, alegando problemas de segurança.A última providência de Robinho antes se integrar à Seleção Brasileira para a disputa da Copa das Confederações foi pedir para Vágner Ribeiro retirar seus pais, Gilvan e Marina, de Santos. A mãe já não saía de casa, e o pai foi procurado por dois homens estranhos, quando participava de um culto e, assustado, saiu às escondidas da igreja evangélica, da Baixada Santista, onde se encontrava.Esse pode até ser o maior motivo para Robinho querer ir embora, mas não é o único. De acordo com seu procurador, o contrato do jogador com a multinacional de material esportivo Nike será imediatamente reajustado em caso de uma transferência para a Europa. "Os valores serão muito maiores", disse Ribeiro. Há informações de que Robinho passaria a ganhar quatro vezes mais do que os R$ 400 mil que recebe por mês no Santos, além das perspectivas de contratos milionários de publicidade.Ricardinho, também indicado ao Real Madrid pelo técnico Vanderlei Luxemburgo, repetiu, após a vitória deste domingo, que oficialmente não sabe de nada ainda. "As especulações são normais nesta época do ano". O contrato do meia, que tem passaporte comunitário, com o Santos termina no final do ano e a multa rescisória é pequena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.