Santos contrata Molina e Michael 'Jackson' Quiñonez

Próximo estrangeiro a ser anunciado deve ser o atacante argentino Tripoli, ex-Boca Juniors

SANCHES FILHO, Especial para O Estado de S. Paulo

04 Fevereiro 2008 | 17h43

Os meias Maurício Molina (colombiano de 27 anos de idade, canhoto) e Michael "Jackson" Quiñonez (equatoriano de 22 anos, destro) fizeram os exames clínicos na tarde desta segunda-feira, no Centro de Treinamento Rei Pelé, e foram aprovados pelo médico Carlos Braga. Os dois primeiros reforços estrangeiros que o Santos contratou para a Copa Libertadores da América vão assinar contrato nesta quarta-feira e serão apresentados à imprensa em seguida. Veja também:  Santos anunciará Molina e Michael 'Jackson' Quiñonez  Fábio Costa diz que Santos não tem padrão tático O terceiro é o centroavante argentino Tripoli, de 20 anos. Os dirigentes santistas aguardam a chegada de um fax do Boca Juniors com a liberação do jogador para anunciar a sua contratação."Nenhum desses jogadores que estão sendo anunciados foram pedidos por mim", disse Emerson Leão, ao saber das contratações. "Aqueles que eu indiquei não foram possíveis e então vamos trabalhar com o que tivermos." Após a derrota contra o Barueri e os fortes protestos dos torcedores na Vila Belmiro, o presidente santista, Marcelo Teixeira, afirmou que o clube estava acertando com dois ou três reforços de qualidade de fora do país e que eles chegariam para resolver os problemas de Leão. Porém, ao contrário do que disse há uma semana, o dirigente, sem opções no mercado, resolveu arriscar com os reforços possíveis, sem o aval do técnico, com o propósito de dar uma satisfação à torcida. Das apostas no escuro de Teixeira, a que tem mais chance de dar certo é Molina. Mesmo assim, a única referência positiva que os dirigentes têm sobre ele é da Copa Libertadores de 2003, quando o colombiano jogava pelo Independiente, de Medellín, foi bem e fez um dos gols do seu time, na derrota por 3 a 2 contra o Santos. As últimas informações são de que jogou, sem brilhar, em clubes médios do México e depois foi para a Servia, onde vinha defendendo o Zevzda. Quiñonez é pouco conhecido até no Equador por jogar num clube da segunda divisão, o Espoli. Embora ele já tenha até feito os exames médicos, apenas o vice-presidente Norberto Moreira da Silva confirmou, após o jogo de domingo em Jundiaí, que o meia equatoriano deve assinar com o Santos e ser anunciado nos próximos dias. Sua contratação foi com base nas informações de empresários e lances seus gravados em dvd. "Não esperava jogar no Brasil e fiquei muito contente quando me deram a notícia de que estou indo para um clube brasileiro importante", disse o jogador a uma rádio do Equador, no domingo. O centroavante argentino Tripoli tem apenas 20 anos e foi um dos maiores artilheiros de todos os tempos das equipes de base do Boca Juniores. Como profissional passou pelo Colônia, da Alemanha, e agora está emprestado ao San Martin, da Argentina. O Santos não informa em quais condições está contratando o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.