Santos crê estar pronto para o título

O Santos voltou do Uruguai com a certeza de que o time está pronto para chegar à decisão da Copa Libertadores da América, após as dificuldades que enfrentou na vitória por 2 a 1, de virada, contra o Danúbio, em Montevidéu, quarta-feira, mas reclamando muito. As principais queixas foram dos erros do juiz argentino Héctor Baldassi e do clima de hostilidade que o adversário armou para tentar ganhar o jogo fora de campo. "Nem em campo de várzea daqui encontramos condições tão ruins", reclama o técnico Alexandre Galo. "Como treinamos no estádio da partida (Luiz Franzini, em Montevidéu) na véspera, sabíamos o que teríamos pela frente." Em razão das péssimas condições dos vestiários, o Santos já chegou uniformizado ao estádio, pronto para entrar em campo. E, após o jogo, assim que conseguiu se livrar das garrafas, tijolos e paus que eram atirados na direção dos atletas, voltou para o hotel, sem tomar banho."A arbitragem foi um desastre para o Santos. Além de anular dois gols legítimos, o juiz deu faltas inexistentes, inclusive aquela que resultou no gol do Danúbio, contra o Santos", afirmou Galo.O herói da virada, Basílio, saiu rapidamente do Aeroporto de Guarulhos-SP, embarcou num táxi, evitando a imprensa. Ao chegar à Baixada Santista, nem passou pelo Centro de Treinamentos Rei Pelé, mas foi o nome mais lembrado por Galo. "Basílio fez exatamente o que eu pedi a ele", afirmou. "Entrando em velocidade pela esquerda, procurando explorar o marcador (Cafu), que já estava fragilizado e com cartão amarelo." Galo considerou exemplar a atuação do time. "Amadurecemos bastante. O time incorporou o espirito da Libertadores, marcando forte e se concentrando no jogo", disse o treinador que comemorou a apresentação de três reforços, ontem à tarde, na Vila Belmiro: o meia-atacante Danilo, de 18 anos, que disputou o Campeonato Paulista pelo América, de São José do Rio Preto, e os atacantes Fabiano, de 20 anos, e Luciano Henrique, ambos procedentes do Atlético de Sorocaba. Os três assinaram contrato por um ano, com opção para mais quatro temporadas."São três bons jogadores, que acompanho desde quando eu estava na Portuguesa de Desportos e com os quais pretendo passar a contar já na próxima semana", disse Galo, esclarecendo que o Santos vai se reforçar ainda mais para o Campeonato Brasileiro e confirmou que a principal contratação deverá ser Giovanni, que ainda é ídolo da torcida, embora tenha deixado a Vila Belmiro, em 1996. "O Campeonato Grego termina no dia 29 de maio e por enquanto não podemos falar nada porque não há nada certo. Mas é um grande nome e tem a minha aprovação." Apesar do interesse do Atlético-MG por Fábio Baiano e do Fluminense-RJ por Tcheco, dificilmente os dois jogadores serão negociados. Galo, que hoje às 13h voltará a se reunir com o presidente Marcelo Teixeira, para discutir a contratação de reforços, vai argumentar que Fábio Baiano e Tcheco já estão recuperados de contusões e que serão importante para o restante da Libertadores e no Campeonato Brasileiro.Domingo, às 18h10, o Santos estréia no Campeonato Brasileiro enfrentando o Paysandu, no estádio Anacleto Campanella, sem a presença de público. O jogo deveria ser na Vila Belmiro, mas foi mudado para o ABC como parte da punição que o clube recebeu em razão dos incidentes ocorridos no contra o Corinthians, no Campeonato Brasileiro do ano passado.Se quisesse, pelo regulamento do Campeonato Brasileiro o Santos poderia até levar o jogo para o estádio da Portuguesa santista (Ulrico Mursa), mas preferiu o campo do São Caetano, que tem melhores condições. Os jogadores voltam aos treinos nesta sexta-feira, às 16h.

Agencia Estado,

21 de abril de 2005 | 18h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.