Divulgação
Divulgação

Santos critica protesto violento contra o presidente por saída de Neymar

Torcedores ofenderam dirigente revoltados com as explicações sobre a transferência do jogador

Agência Estado

30 de janeiro de 2014 | 19h25

SANTOS - Mesmo após a grande vitória por 5 a 1 sobre o rival Corinthians, o presidente em exercício do Santos, Odílio Rodrigues, foi alvo de um protesto violento protagonizado por um grupo pequeno de torcedores, já na madrugada desta quinta-feira, na saída da Vila Belmiro. No final da tarde, o clube divulgou uma nota de repúdio, criticando a atitude dos "vândalos".

"Nem torcedores e nem sócios. Essas pessoas eram vândalos", diz a nota oficial do Santos, ao comentar sobre o grupo de torcedores que "se manifestou com atos de violência, insultos e ofensas" contra o presidente e alguns membros do Comitê de Gestão do clube que o acompanhavam.

"O que era para ser um momento de festa e de alegria por conta dos 5 a 1, acabou sendo um momento de tensão para todos nós", contou o presidente, que não foi vítima de agressão física, mas sofreu ameaças e insultos durante a violenta manifestação quando saiu da Vila Belmiro.

A principal crítica durante o protesto foi contra a transferência de Neymar para o Barcelona, realizada em maio do ano passado, que vem causando polêmica atualmente. Mas o presidente do Santos apontou "intenções políticas" nos bastidores do clube para justificar a ação.

"Esse grupo vem, pela internet e por meio de cartazes apócrifos, incitando a violência, ameaçando a integridade física e realizando ataques à honra dos membros do Comitê. Estamos certos de que a manifestação não guarda nenhuma relação com a entrevista que demos (sobre o caso Neymar) e nem com a partida, porque há muitos meses isso já vem acontecendo", disse o presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.