Santos derrota a Anapolina por 2 a 1

O Santos venceu a Anapolina por 2 a 1, de virada, na estréia das duas equipes na Copa do Brasil, nesta quarta-feira, em Anápolis (GO). Este resultado não eliminou o jogo de volta, na Vila Belmiro, mas facilita o trabalho santista, que depende só de um empate em casa para se classificar. Apesar da vitória, o técnico Geninho vai ter que administrar uma crise: Dodô não gostou de ser substituído e saiu reclamando. "Tem que fazer o que para ficar em campo?", disparou o atacante, que ainda comentou que o treinador tinha falado que ele estava bem na partida e novamente questionou: "Se estava bem, por que não me manteve?"O começo do jogo estava fácil para Santos. A equipe paulista mantinha o domínio da partida, criava as chances de gol, mas não conseguia marcar. Uma das melhores chances desperdiçadas foi aos 15 minutos, quando Robert penetrou livre na área e tentou enganar o goleiro Ernandes, que acabou levando a melhor: a bola bateu em sua perna e na seqüência, a zaga afastou o perigo. Dez minutos depois, foi a vez de Galván acertar um bom chute a gol, mas a bola bateu na trave. Na seqüência, a Anapolina fez seu melhor ataque: Rogério recebeu a bola na entrada da área, fez o giro em Galván e, livre, chutou forte. Pitarelli não conseguiu segurar, soltando a bola no pé de Baiano, que não teve dificuldade em marcar o gol do time de casa, aos 27 minutos.A desvantagem no placar e a bronca de Geninho fizeram que o Santos voltasse do intervalo com apenas um pensamento: empatar a qualquer custo. Logo aos 2 minutos, Dodô lançou Léo, que chutou para fora e perdeu a boa chance. O problema é que a postura ofensiva deixou buracos na defesa santista. Tanto que, aos 4, a Anapolina quase amplia: Baiano entrou livre na área, mas chutou cruzado para fora. O time da casa teve outra grande oportunidade: aos 12, com o mesmo lateral Baiano, que chutou forte e a bola desviou em Galván antes de sair pela linha de fundo.Aos 16 minutos, quando a Anapolina pressionava, Léo fez uma grande jogada, livrando-se de três zagueiros, e serviu Dodô dentro da área. Desta vez, o atacante do Santos teve tranqüilidade para driblar Ernandes e empatar o jogo. A igualdade no marcador equilibrou a partida, com as duas equipes alternando jogadas de ataque. Mas, os 36, Renato pegou a bola na intermediária e deu forte chute. O goleiro até que tentou pegar, mas a bola desviou num morrinho e entrou, fechando a vitória dos santistas: 2 a 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.