Divulgação
Divulgação

Santos derrota o Fluminense por 3 a 1 na Vila Belmiro

Alvinegro ultrapassa o São Paulo na tabela de classificação

Glauco de Pierri, O Estado de S. Paulo

04 de outubro de 2015 | 18h35

Uma falha do goleiro do Fluminense, Diego Cavalieri, aos 4 minutos de jogo. Depois, aos 10, uma ótima articulação do ataque santista. Em dois lances, logo no comecinho da partida, o Santos abriu 2 a 0 no placar e teve a tranquilidade necessária para vencer o rival carioca sem nenhum susto.

 

A vitória comprova o reequilíbrio santista nos últimos meses e, pese o time estar brigando para terminar o Brasileirão na 4.ª posição, se o técnico Dorival Júnior tivesse substituído Marcelo Fernandes antes, talvez o Peixe estaria lutando por voos ainda mais altos. 

Voltando ao início do jogo, o primeiro lance mais agudo da partida desmontou o trabalho do técnico do Fluminense. Eduardo Baptista queria ter o contra-ataque à disposição na Vila, mas logo aos 4 minutos, passou a correr atrás do placar.

Isso porque o goleiro Diego Cavalieri recebeu bola recuada de Marlom Santos. O goleiro dominou e foi lento ao dar o chutão para o ataque. Lucas Lima foi para o abafa, a bola pegou em seu pé e morreu no fundo do gol. O Fluminense nem tinha se reorganizado em campo e, aos dez minutos, o atacante Gabriel recebeu a bola pela direita do ataque santista. Ele puxou para a perna esquerda e bateu para o gol. A bola desviou na zaga e ficou limpa para Marquinhos Gabriel só empurrar para as redes. 

Se tirar pontos do Santos na Vila Belmiro já é uma tarefa ingrata para qualquer time, imagine com 2 a 0 contra aos 10 minutos de jogo. O Fluminense tentou se ajustar - Robert entrou no lugar de Victor Oliveira ainda na primeira etapa, mas foi o Santos quem continuou melhor e poderia ter descido para o vestiário com uma vantagem ainda maior. 

ATAQUE

No segundo tempo, o torcedor poderia imaginar que o Santos iria diminuir o ritmo, mas não foi o que aconteceu. A equipe do técnico Dorival Júnior continuou soberana, ditando as ações e poderia ter ampliado o placar aos 18 minutos, quando Gustavo Henrique cabeceou na trave após cobrança de escanteio. 

Aos 27, Werley mandou para as redes de cabeça, mas o árbitro marcou empurrão do zagueiro em Gum. O terceiro gol saiu aos 38 minutos, quando Neto Berola recebeu cruzamento na medida de Daniel Guedes e, livre dentro da área, tocou de cabeça sem chances para Diego.

No fim, Robert ainda fez um belo gol de honra para o Fluminense. O placar de 3 a 1 foi pouco tamanho a superioridade do Santos durante toda a partida.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.