Santos derrota o Goías e sobe para segundo na tabela

Vitória do time santista dá uma ajuda para o rival Corinthians e adia festa do título do São Paulo

André Rigue, do estadao.com.br,

27 de outubro de 2007 | 20h15

Em busca da vaga na Copa Libertadores, o Santos fez sua lição de casa e derrotou neste sábado a equipe do Goiás por 3 a 0, na Vila Belmiro. A vitória, conquistada na segunda etapa, deixou o time do técnico Vanderlei Luxemburgo na segunda posição do Campeonato Brasileiro, com 55 pontos - aproveitamento de 55,55%. Veja também: Classificação Resultados / calendário Com o resultado, o Santos também impede que o São Paulo faça a festa do título já neste domingo, na partida contra o Sport Recife, em Pernambuco. Além disso, contribui para o rival Corinthians, já que os goianos lutam diretamente com o time de Parque São Jorge contra o rebaixamento à Série B. Apesar de ter marcado três gols, a partida não foi fácil para os santistas. Os cerca de 13 mil torcedores que compareceram à Vila tiveram de amargar um primeiro tempo em que o time mostrou um "show de incompetência" nas finalizações, principalmente com o atacante Marcos Aurélio, que começou como titular após um período de "geladeira".Santos3Fábio Costa; Dionísio, Marcelo, Domingos e Kléber; Rodrigo Souto, Adoniran (Adriano), Petkovic (Pedrinho   ) e Rodrigo Tabata (Vítor Júnior); Marcos Aurélio e Kléber PereiraTécnico: Vanderlei LuxemburgoGoiás0Harlei; Vitor, Ernando, Paulo Henrique    (Luiz Henrique) e André Leone; Amaral, Fábio Bahia, Cléber Goiano e Paulo Baier; Rinaldo (Fabiano Oliveira   ) e Cristiano    (Wendell)Técnico: Márcio AraújoGols: Pedrinho, a 1 minuto, Tabata, aos 30, e Vítor Júnior, aos 36 minutos do segundo tempoÁrbitro: Wilson Souza de Mendonça (PE)Renda: R$ 145.130,00Público: 13.058 pagantesEstádio: Vila Belmiro, em Santos (SP) Além disso, a torcida se irritou com os equívocos do polêmico e ultrapassado Wilson Souza de Mendonça, que deixou de marcar um pênalti aos 18 minutos, quando o zagueiro Paulo Henrique impediu que Tabata aproveitasse um cruzamento de Kléber ao afastar a bola com a mão, como num lance de vôlei. Coube ao técnico Vanderlei Luxemburgo, mais uma vez, mudar o panorama do jogo e dar a vitória aos santistas. No intervalo, o técnico retirou Petkovic, cansado, e colocou Pedrinho. O "dedo" do treinador foi fundamental para abrir o caminho para a vitória na segunda etapa. Em sua primeira participação, logo a um minuto da etapa final, Pedrinho tabelou com Kléber, ficou na cara do goleiro Harlei e chutou cruzado. A bola tocou no pé da trave e entrou. O gol foi um alívio para o time, que temia sofrer com a pressão da torcida, irritada com os gols perdidos no primeiro tempo. O segundo gol do Santos só saiu aos 30 da etapa final. Rodrigo Tabata, que iria ser substituído, decidiu dar um presente aos torcedores antes de sair. Ele fez uma bonita jogada individual, deixando Ernando para trás, e acertou um forte chute no canto do goleiro Harlei. Após o gol, Tabata deu lugar a Vítor Júnior. Mais uma vez o "dedo" de Luxemburgo funcionou. O garoto marcou o terceiro do clube após aproveitar cruzamento de Marcos Aurélio, aos 36 minutos. Foi a primeira vez que o jogador balançou a rede na competição. Agora, o Santos fará mais cinco partidas no Brasileirão. Duas delas em casa, contra Atlético Mineiro e Fluminense. As outras três serão fora, contra Náutico, Flamengo e Paraná Clube.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.