Santos derrota Ponte de virada: 2 a 1

O Santos levou um susto, chegou a estar perdendo, mas reagiu e derrotou a Ponte Preta por 2 a 1, neste domingo à tarde, em Campinas, embora não tenha repetida a boa atuação da estréia, quando goleou a Portuguesa por 5 a 1, na Vila Belmiro. Foi a segunda vitória do campeão brasileiro de 2004, com gols de Robinho e Elano. O time continua concentrado em Atibaia e volta a jogar quarta-feira à noite, contra o Mogi Mirim, em Mogi.As ausência de Léo (Zé Elias foi o lateral-esquerdo) e Basílio (Fábio Baiano entrou no meio-de-campo, formando o quadrado com Fabinho, Elano e Ricardinho) fizeram pouca diferença. Apesar de ter mudado o esquema do 4-3-3 da estréia, para 4-4-2, o técnico Oswaldo de Oliveira manteve Robinho mais recuado, com a clara intenção de puxar a marcação da zaga adversária, abrindo espaços para Deivid e para os meias que chegavam para finalizar a todo momento. Faltou apenas o time ocupar mais o lado esquerdo do ataque, já que Zé Elias pouco apareceu no ataque.A Ponte Preta, mesmo jogando em casa e precisando da vitória porque perdeu do São Caetano na primeira rodada, no ABC, armou o time com três volantes - Romeu, Ângelo e Rafael Rodrigues -, na tentativa de neutralizar o setor de criação dos santistas, mas não abdicou do futebol ofensivo.O que se viu no primeiro tempo foi um futebol de bom padrão técnico, com grande número de oportunidades de gols de parte a parte. E foi o Santos quem esteve sempre mais perto da abertura do marcador, em razão da categoria diferenciada de pelo menos três de seus jogadores - Robinho, Elano e Ricardinho. "Estamos jogando bem e o gol só não saiu porque temos que caprichar mais nas finalizações e no último passe", analisou Robinho quando ia para os vestiários no final do primeiro tempo.Mas foi a Ponte Preta que saiu na frente. Aos 2 minutos do segundo tempo, Domingos deslocou Rafael Rodrigues com o cotovelo dentro da área e o juiz Cléber Wellington Abade marcou pênalti, convertido por Harison. Porém, a vantagem da equipe campineira durou apenas cinco minutos. Aos 7, o goleiro da Ponte, Lauro, pegou uma bola recuada da intermediária por um companheiro e Abade marcou falta. A bola foi colocada dentro da pequena área e, na cobrança, Robinho fez o gol de empate.Animado com a igualdade no marcador, o Santos passou a pressionar ainda mais. Depois de desperdiçar uma boa chance, aos 14 minutos, quando entrou livre e chutou na rede pelo lado de fora, Elano virou o marcador, aos 16, num contra-ataque puxado por Deivid, pelo lado direito. A bola foi cruzada, passou por Robinho e encontrou Elano, na esquerda, que só teve o trabalho de concluir para as redes.Depois do segundo gol, o Santos passou a tocar a bola e relaxou um pouco na marcação, permitindo que a bola chegasse várias vezes com perigo em sua área. Nos minutos finais, o time cansou e a Ponte pressionou bastante mas faltou qualidade ao seu ataque para chegar ao empate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.