Santos derrota Vasco de virada

O jovem Daniel, de apenas 21 anos, sentiu na pele, pela primeira vez, neste sábado, que, no futebol, a distância entre o sucesso e o fracasso é quase inexistente. Depois de ter recebido vaias e sido hostilizado pelos torcedores santistas em boa parte do jogo, teve um momento de ídolo, aos 34 minutos do segundo tempo, quando acertou um belo chute de fora da área e marcou o gol da vitória do Santos sobre o Vasco por 2 a 1. Tudo mudou e o volante passou a ser aplaudido na Vila Belmiro. Não era para menos, pois seu golaço pôs o Santos na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, ao lado do São Paulo, com 41 pontos. O herói da tarde foi pivô de um fato curioso. A torcida vinha pedindo sua saída. Ele havia desperdiçado duas boas oportunidades de gol e errado alguns passes. Irritado, um torcedor começou a xingar Emerson Leão, entendendo que o técnico estava sendo teimoso ao mantê-lo na equipe. Depois do gol da vitória, Leão se vingou. Virou-se para a arquibancada e devolveu os ?elogios? ao torcedor. Daniel, que foi trazido de Ribeirão Preto pelo treinador, comemorou bastante seu primeiro gol com a camisa alvinegra. ?Foi um momento histórico", disse. ?Foi a primeira vez que meus pais vieram ao estádio para ver um jogo meu e foram premiados com o gol." Leão contou que teve dificuldade para conseguir levá-lo à Vila Belmiro. ?Vocês vêem como as coisas no futebol são difíceis, nós tivemos de brigar muito para que ele pudesse fazer teste no Santos", comentou. ?Ele é um jogador esforçado e temos outro bom jovem volante no elenco, o Alexandre. Já podemos vender o Paulo Almeida." O Santos passou por momentos delicados, principalmente na segunda etapa, mas em nenhum momento foi inferior ao Vasco. Os cariocas iniciaram a partida com esquema de time pequeno, com apenas um jogador no ataque, o veterano Donizete. Sozinho e em má forma física, ele nada fez. O goleiro Júlio Sérgio apenas assistiu ao jogo no primeiro tempo. Não foi incomodado nenhuma vez. A equipe da casa, mesmo desfalcada de 10 jogadores e sem os astros Robinho e Diego - na seleção sub-23 -, Léo, suspenso, entre outros, dominou o adversário e poderia ter garantido a vitória já nos primeiros 45 minutos. Teve seis boas oportunidades de gol, mas não foi feliz nos arremates. André Luís e Elano, por exemplo, acertaram a trave do goleiro Fábio. A torcida e o próprio Leão começaram a ficar preocupados, porque sabiam que do outro lado havia Marcelinho Carioca. Embora esteja longe do auge, ainda é muito perigoso nas cobranças de falta e nas finalizações. Foi justamente num chute de Marcelinho, de primeira, que o Vasco abriu o placar. ?Sempre tenho a sorte de fazer gols bonitos na Vila, mas o que eu queria mesmo era a vitória." A partir daí, os jogadores do Santos perderam um pouco a concentração e a tranqüilidade. A qualidade técnica do time, porém, é infinitamente melhor que a do rival e fez a diferença. André Luís, em posição de impedimento, recebeu passe de Ricardo Oliveira, tocou com categoria na saída de Fábio e empatou o jogo. "O time jogou bem, estamos todos de parabéns", festejou o zagueiro. E Daniel garantiu a vitória, quando tudo indicava que o time perderia mais dois pontos em casa - no meio da semana, havia apenas empatado com o Goiás. Na quarta-feira, o Santos volta a campo pelo Brasileiro. Vai enfrentar o Atlético-PR, em Curitiba. E, no sábado, no encerramento do primeiro turno, pega o Grêmio, em Porto Alegre.

Agencia Estado,

26 de julho de 2003 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.