José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Santos descarta assumir a gestão do estádio do Pacaembu

Com a restrição de jogos de times grandes na capital por questões de segurança, clube prefere usar estádio esporadicamente

GONÇALO JUNIOR, O Estado de S. Paulo

23 de janeiro de 2015 | 19h57

O presidente Modesto Roma Junior descartou a possibilidade de o Santos apresentar um projeto de gestão do Pacaembu no edital da prefeitura de São Paulo divulgado nesta semana. Isso significa que o clube da Vila Belmiro vai continuar realizando jogos na capital paulista esporadicamente, mas não pretende transformar o estádio em sua segunda casa.

"O problema é o policiamento. Nas consultas que fizemos, a PM informou que não pode realizar o policiamento de mais de um jogo com clubes grandes no mesmo dia", explicou Modesto Roma Júnior. "A cidade tem três times grandes, mais o Audax, em Osasco, e todas as datas têm mais de um jogo em São Paulo. Com isso, corremos o risco de não poder jogar no Pacaembu, mesmo que fôssemos os gestores", disse.

Na primeira fase do Campeonato Paulista, o Santos mandará duas partidas no interior (Red Bull Brasil, em São José do Rio Preto, e o Linense, em São José dos Campos) e uma no próprio Pacaembu (Audax).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCPaulistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.