Santos diz que ainda não pensa em substituto de Dorival Júnior

Diretor de futebol reafirma a posição do presidente Luís Álvaro sobre a 'insubordinação' do ex-técnico

AE, Agência Estado

22 de setembro de 2010 | 13h08

Poucas horas depois de enumerar os motivos da demissão de Dorival Júnior, em um comunicado oficial assinado pelo presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, o Santos anunciou, no início da tarde desta quarta-feira, que ainda não tem nenhum nome em vista para substituir o técnico no comando do time.

Veja também:

linkSem Dorival Júnior, Santos deve ter Neymar no clássico

linkSantos fica do lado de Neymar e demite Dorival Júnior

"Não tem nenhum nome que estamos trabalhando por enquanto. Só vamos nos manifestar quando tivermos um nome. Só falaremos o nome do novo técnico efetivamente quando ele for contratado", afirmou Pedro Luis Nunes Conceição, diretor de futebol do Santos, em entrevista coletiva.

Em seguida, o dirigente reafirmou a posição de Luis Alvaro sobre a demissão de Dorival Júnior. Ele ratificou as palavras do presidente de que houve insubordinação do treinador, que não teria cumprido o que prometeu à diretoria ao barrar Neymar da partida desta quarta-feira, contra o Corinthians, na Vila Belmiro, depois de descartar o jogador do confronto diante do Guarani, no último domingo, em Campinas. O atleta foi punido por xingar o técnico na partida contra o Atlético-GO, na última quarta, quando ficou revoltado ao ser sido proibido de bater um pênalti.

"Basicamente, foram três pontos fundamentais (que causaram a demissão): o Dorival teve uma crise de autoridade, o que foi acordado com o Dorival não foi cumprido, e, consequentemente, a hierarquia foi quebrada", explicou Pedro Luis, dizendo que o fato de Neymar ter treinado junto com o elenco de jogadores durante esta semana era um sinal claro de que ele estava automaticamente liberado para enfrentar o Corinthians.

"Jogador afastado não treina com o grupo. O atleta treinou segunda-feira, treinou terça-feira, e estava concentrado desde às 11 horas com o grupo que estava se preparando para o jogo", reforçou.

Anteriormente, o dirigente reclamou da suposta mudança repentina de atitude do treinador. "Dorival mudou de comportamento e nos surpreendeu. O Neymar foi punido. E em 24 horas o Dorival mudou de comportamento. Tomamos as decisões em conjunto com a comissão técnica. Pensamos que o assunto estava encerrado. E depois tivemos uma solicitação da comissão técnica para uma nova punição", reclamou, assegurando que a polêmica entre Dorival e Neymar já havia sido encerrada na segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.