Santos e Corinthians voltam a decidir Paulistão após 25 anos

Primeira partida da grande final da competição estadual acontece neste domingo, às 16 horas na Vila Belmiro

Fábio Hecico e Sanches Filho - O Estado de S. Paulo,

25 de abril de 2009 | 20h18

AE

Atacantes Neymar (Santos) e Ronaldo (Corinthians) são as principais estrelas da final do Paulistão

SANTOS - Agora quem dá bola é o Santos, o Santos é o novo campeão... Salve o Corinthians, o campeão dos campeões... Os hinos dos dois grandes alvinegros paulistas começam com a confiança em títulos. Neste domingo, às 16 horas, na Vila Belmiro, dois times que lutaram contra a desconfiança ao longo da temporada iniciam a luta para ver quem vai levar o Campeonato Paulista em 2009. O confronto terá acompanhamento online do estadao.com.br e transmissão ao vivo pela rádio Eldorado/ESPN, também no FM 107,3.

Veja também:

linkCom promessa feita à mãe cumprida, Neymar disputa 1.ª final

linkViciado em treinos, Ronaldo mostra porque é o Fenômeno 

linkCorinthians faz treino secreto antes da final contra o Santos

forum VOTE - Qual time vai ser o campeão paulista de 2009?

especialSantos x Corinthians, o mais antigo clássico paulista

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Ambos passaram pelos badalados Palmeiras e São Paulo nas semifinais do campeonato, com belas provas de força de seus elencos, e agora chegam ao confronto final. Serão 180 minutos de disputa entre duas equipes tradicionais que não brigavam entre si pela taça desde o Paulistão de 1984 - um gol de Serginho Chulapa garantiu a conquista para o Santos sobre o Corinthians na ocasião.

O Corinthians, invicto e com campanha melhor ao longo do Paulistão (somou 45 pontos, diante de 43 dos santistas), entra com a vantagem de jogar por dois resultados iguais na final. E também poderá decidir em casa, no dia 3 de maio, no Pacaembu. Ao Santos, não resta outra saída a não ser derrubar a fase sem derrotas do rival. E a aposta é na pressão da Vila Belmiro.

"Pode ser um empate em casa e uma vitória no Pacaembu. É claro que na Vila existe uma atmosfera diferente, mas não é somente isso, o time tem de jogar futebol, ser alegre em campo", avisou o técnico Vágner Mancini, que passou os últimos dias tentando reerguer o elenco do Santos após eliminação na Copa do Brasil para o CSA (AL), na última quarta-feira, com derrota por 1 a 0 na Vila Belmiro.

"É muito triste perder em casa, mas não houve menosprezo ao adversário. Agora é esquecer a tempestade e pensar em coisas melhores na frente", advertiu o zagueiro Fabão, um dos únicos titulares do Santos que não enfrentaram o CSA - foi poupado. "Quem sabe a alegria não vem no primeiro jogo contra o Corinthians?"

Santos
Fábio Costa; Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Triguinho; Germano, Pará, Madson e Paulo Henrique; Kléber Pereira e Neymar
Técnico: Vágner Mancini
Corinthians
Felipe; Alessandro, Chicão, William e André Santos; Cristian, Elias, Morais (Fabinho) e Douglas; Jorge Henrique e Ronaldo
Técnico: Mano Menezes
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)

Estádio: Vila Belmiro, em Santos (SP)

Horário: 16 horas

Rádio: Eldorado/ESPN - AM 700 FM 107,3

TV: Globo, Band e SporTV

O pensamento santista de mudar a vantagem de lado esbarra na ambição corintiana de ampliá-la. A ordem do técnico Mano Menezes é para seu time fazer gols na Vila Belmiro. Os dois bons jogos diante do São Paulo, pelas semifinais do campeonato (vitórias por 2 a 1 e 2 a 0) viraram exemplo de como o Corinthians deve se comportar em campo.

"Não podemos entrar na decisão pensando em dois resultados iguais. Temos de pensar em superar o adversário e em conquistar o título", afirmou Mano Menezes. "Um gol para cá ou para lá muda toda a história. E o jogo diante do São Paulo mostrou isso."

O treinador corintiano chega a desprezar o fato de sua equipe "gostar" de empates - foram nove em 21 partidas do Paulistão. "Procuramos ser bom de empates quando a vitória não é possível", disse Mano Menezes. "O empate é a segunda possibilidade que temos no jogo e pretendemos terminar o campeonato sem conhecer a terceira."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.