Santos e Dodô podem parar na justiça

Mais um caso do Santos deve ser decidido pela justiça. Os dirigentes estão procurando negociar Dodô com o Cruzeiro, em troca de Jackson e Cléber, mas o atacante Dodô só espera terminar seu contrato - que dura ainda um mês - para reinvidicar o passe livre, de acordo com a Lei Pelé. Os santistas querem aproveitar o tempo que resta de vínculo do atleta com o clube para tentar o ressarcimento de parte dos valores investidos na compra do passe - por US$ 5,5 milhões, mas os custos dos dois anos que atuou na Vila Belmiro - e aliviar o déficit financeiro. Mais do que contratar reforços, o Santos procura fazer caixa com a negociação de seus principais jogadores. O lateral-esquerdo Léo e o volante Claudiomiro podem se transferir para o futebol europeu, enquanto Robert pode trocar de clube. A situação de Deivid continua complicada, já que seu vínculo é com o Nova Iguaçu, clube que detém metade de seu passe. Se ele não for negociado, terá que renovar seu contrato com o time de Vila Belmiro e vai querer corrigi-lo com base na boa atuação no Paulista. Atualmente, o atacante ganha R$ 15 mil mensais, incluindo salários e direito de imagem. Já o volante Narciso, que deverá se reapresentar na segunda-feira, junto com todo o elenco, está sem receber seus salários desde janeiro. Depois de ter passado por um transplante de medula, ele está recuperado e vai passar por exames físicos, iniciando exercícios leves.

Agencia Estado,

12 de junho de 2001 | 18h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.